Tempo
|
Três por Todos - Assista ao direto Três por Todos - Participe nos leilões
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

Maduro faz visita surpresa ao Papa para falar da crise na Venezuela

24 out, 2016 - 19:05

A Venezuela atravessa uma profunda crise social, política e económica. O Papa convidou Nicolás Maduro a empreender o caminho do diálogo sincero com a oposição.

A+ / A-

O Papa Francisco recebeu esta segunda-feira, em audiência privada, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

O encontro não tinha sido anunciado de antemão, nem se sabia que Maduro tinha viajado para a Europa, numa altura em que o seu país sofre um agravamento da profunda crise económica e política dos últimos anos.

Durante o fim-de-semana Maduro encontrava-se na Arábia Saudita, num encontro de países produtores de petróleo e foi lá que assistiu ao agravar da situação política no país, quando o Conselho Nacional Eleitoral que bloqueou a realização de um referendo à sua presidência.

Em resposta, esta segunda-feira os Parlamento discutiu a possibilidade de julgar Maduro por violar a constituição e tentativa de golpe de Estado, mas os trabalhos foram interrompidos quando dezenas de apoiantes de Maduro e do seu antecessor Hugo Chávez, considerado o pai da revolução, entraram no hemiciclo.

Foi neste contexto que Francisco recebeu o Presidente venezuelano. O comunicado da Santa Sé sublinha a difícil situação na Venezuela e diz que o Papa se ofereceu para ajudar a encontrar soluções de paz.

“O encontro surge no quadro da preocupante situação de crise política, social e económica que o país está a atravessar e que se repercute pesadamente sob a vida quotidiana de toda a população”, lê-se.

“Neste sentido, o Papa, que tem o bem de todos os venezuelanos no coração, quis continuar a oferecer o seu contributo a favor da estabilidade do país e de tudo o que possa contribuir para resolver as questões em aberto e criar confiança entre as partes.”

A Sala de Imprensa da Santa Sé diz ainda que Francisco convidou Maduro a percorrer “com coragem a via do diálogo sincero e construtivo, para aliviar o sofrimento do povo e dos pobres em primeiro lugar, e promover um clima de renovada coesão social que permita olhar para o futuro da nação com esperança”.

Esta visita surge na semana depois de ter sido eleito um venezuelano para liderar a Companhia de Jesus, a maior ordem religiosa do mundo. Arturo Sosa é conhecido por ter denunciado o regime iniciado por Hugo Chávez e durante a semana encontrou-se pessoalmente com o Papa argentino.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Malaquias
    26 out, 2016 mesopotanea 12:40
    Senhor comentador Miguel Botelho: Permita - me que lhe ensine uma das muitas recomendações que Jesus Cristo, dono da verdade, ensinou aos que acreditam nele e na sua verdade: " não chames louco a ninguém " . Senhor comentador: o sr gosta de cuspir para o ar. Lembro - lhe que o sr está sujeito a engolir o seu próprio veneno que lança contra Deus e contra o seu povo. Sou um homem livre, não sou escravo nem escravisador , porque os meus pais me ensinaram a orar, a trabalhar, a produzir , a ser livre e a poupar. Eu costume dizer que politocos bons são aquele que não se agarram ao poder e fomentam salários justos e lutam contra as desigualdades sociais . São politicos maus os que se agarram ao poder e perseguem quem quer trabalhar e produzir riqueza para o bem comum . E procuram comprar o pobre com as cascas do trigo em vez de trabalho e salário digno. O sr vive num País errado. O sr deveria ir viver para a Venezuela, para Cuba, para a China , para a Coreia do Norte ou para a Russia. Jesus Cristo disse: pelo fruto se conhece a àrvore. Pelo que vejo, o sr é fraca àrvore porque produz tempestades gratuitas. Boa tarde.
  • Vasco
    25 out, 2016 Santarém 22:09
    Foi dizer certamente ao Papa que a crise na Venezuela é culpa dos outros e que ele Maduro até é um santinho de papo cheio e os seus concidadãos uns anjos de barriga vazia e tudo fica santificado.
  • João Galhardo
    25 out, 2016 Lisboa 18:49
    A onda de comentários contra o presidente Maduro revela uma enorme ignorância sobre o processo político que se vive naquele país. Os próprios comentadores mão têm ideia da nobreza de sentimentos de pessoas, como Nicolás Maduro e do plano que levou para tratar dos mais pobres da cidade de Caracas. No caso da fome, os mesmos ignorantes que subscrevem as notícias dadas pela imprensa subserviente a Washington, desconhecem as «CLAP»: comités locais de abastecimento popular. Estes comités têm conseguido abastecer muitos dos venezuelanos que sofrem das dificuldades para abastecimento de produtos de primeira necessidade. Por fim, os mesmos ignorantes desconhecem as sanções económicas decretadas por Washington ao governo da Venezuela, por este ter seguido uma política de rumo socialista.
  • Miguel Botelho
    25 out, 2016 Lisboa 13:00
    As considerações de Malaquias sobre o presidente Maduro são irrisórias, tontas e de uma ignorância ilimitada. O presidente Maduro é católico. Por isso, não há problema nenhum quanto à visita oficial de um presidente católico ao Vaticano. Agora, comparar o presidente Maduro ao imperador Constantino, só se for por mero elogio bacoco. De facto, nenhum dos personagens tem nada a ver; nem na história, nem no conteúdo. É caso para dizer que se o Sr. Malaquias não está louco, para a loucura caminha.
  • NORBERTO SILVA
    25 out, 2016 BRASIL 04:00
    Pra quem ouvia conselhos de pássaros (acreditem, que é verdade), pedir orientação ao Papa já é um progresso.
  • Zé Brasileiro
    24 out, 2016 Braga - Provincia 23:27
    A verdade é que está bastante gordinho e fome não deve passar . O mesmo , se calhar não se poderá dizer dos seus conterrâneos . Que o Papa lhe perdoe que eu já lhe perdoei .
  • Malaquias
    24 out, 2016 mesopotanea 22:26
    Maduro é um Constantino deste tempo. O imperador Constantino, homem ímpio, que reinou no tempo do Papa Silvestre, considerava - se dono absoluto da parte sul de Itália, da religião católica e do seu real representante, o Papa Silvestre. Mais tarde, e depois de ter cometido muitos crimes bárbaros, arrependeu - se e pediu para ser batizado. Não estaremos perante um caso idêntico ? Espero que sim. Se isso acontecer, alegre- se o Céu e a terra. Tenho considerado o Papa Emérito Bento XVI como um novo profeta Elias. E considero o Papa Francisco como um novo profeta Eliseu. Se esta conversão de Maduro ocorrer, então passarei a considerar o Papa Francisco como um novo João Batista. Que bom , os diabos converterem - se em anjos!!! Digo diabos, porque há pessoas que pensam que os diabos são fantasmas. Mas não. São de constituição fásica... Boa Noite.
  • Barsanulfo
    24 out, 2016 alcains 21:58
    O Papa é um homem bondoso, imparcial, justo, e teve a bondade que o caracteriza, de receber este ditadorzinho de sanitário público. Pura propaganda, muito fácil de desmascarar. O títere cairá! Se Sadam Husein, bem mais poderoso, acabou no cadafalso, Cadafi na sargeta, este idiota vai acabar mal. Já tarda!
  • jrmoura
    24 out, 2016 lisboa 21:07
    Porque se será que todos os países muito religiosos são pobres vivam na desgraça.
  • Papudo
    24 out, 2016 Karakas 21:01
    Os Deuses devem estar loucos, o Maduro visitar o Papa Xico?

Destaques V+