|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Crimes de Aguiar da Beira. As pistas falsas na perseguição a Pedro Dias

20 out, 2016 - 06:50 • João Carlos Malta

São vários telefonemas para as autoridades policiais de Norte a Sul do país a dizerem que viram o suspeito dos homicídios de Aguiar da Beira, ou que pelo menos têm pistas. Grande parte não são verdadeiras.

A+ / A-
Aguiar da Beira. O percurso do criminoso mais procurado de Portugal
Aguiar da Beira. O percurso do criminoso mais procurado de Portugal

Desde que as autoridades publicaram a foto do homem mais procurado de Portugal que os contactos das populações se têm multiplicado, tal como as pistas para perseguir o suspeito dos crimes de Aguiar da Beira. Mas se algumas puseram as autoridades na rota do duplo homicida, outras revelaram-se falsas.

Pedro Dias, de 44 anos, que matou um militar da GNR e um civil há mais de uma semana , já esteve alegadamente em Montalegre, a caminho de Salamanca, em Vila Verde, e em Viseu. Nada o comprovou.

Primeiro, foram os dados de que o duplo homicida estaria em Montalegre numa bomba de gasolina a abastecer um Ford Fiesta branco. Pedro Dias teria de ter feito mais de 177 quilómetros, e estaria ao pé da fronteira. Não estava. Nessa altura, andaria por Arouca.

A informação foi descartada depois de vistas as imagens de videovigilância do posto de abastecimento. Houve também a pista de Salamanca que punham o alegado criminoso em Espanha. As televisões enviaram equipas para o local, houve notícias de estradas cortadas. Mas do perseguido nem sinal.

No tribunal ou na loja

A vontade das forças de autoridade é levar Pedro Dias a tribunal, e houve quem tivesse jurado que o tinha visto junto ao edifício da comarca de Viseu.

Uma chamada telefónica, na manhã de terça-feira, levou a PSP de Viseu a procurar o suspeito junto ao tribunal. Um homem ainda chegou a ser abordado pela polícia que rapidamente percebeu que, apesar das parecenças, não se tratava de Pedro Dias.

Segundo o "Observador" escreveu têm sido feitas várias chamadas para a GNR de pessoas preocupadas com esta perseguição e que colocam muitas questões. O major Pedro Gonçalves, relações públicas da GNR da Guarda, disse que a divulgação da foto “provocou vários avistamentos de Norte a Sul, o que dificulta muito a investigação”.

Já esta quarta-feira, Major Marco Cruz, chefe de Divisão de Comunicação e Relações Públicas da GNR, diz que uma parte do efeito de divulgar a foto foi boa porque dá mais informação à GNR, mas lembra que as pistas dadas por populares são cruzadas com outras fontes da investigação.

Tem havido de tudo um pouco nos relatos feitos por populares a forças de segurança, desde barulho em lojas que geram alertas para a polícia, até um homem que em Vila Real disse ter sido agredido por Pedro Dias. A alegada vítima afirmava ter sido ameaçada com uma arma de fogo porque o alegado homicida lhe queria roubar comida. A PJ chegou a interrogar o homem, mas descartou a hipótese.

Como acontece em alguns destes casos muito mediatizados começam a repetir-se avistamentos que são motivados pelo “efeito de sugestão”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • O rambo das beiras
    21 out, 2016 lisboa 17:08
    E que tal um agente disfarçado de pastor a assar um frango com uma garrafa de tinto ao lado?... Basta caracterizá-lo um pouco dando tipo de velhote inofensivo, e o rambo cai que nem um patinho...
  • A armadilha
    21 out, 2016 lisboa 17:00
    Ponham lá no meio do mato uma velhota a assar castanhas que ele aparece cheio de fome, e aí zás! Apanham o gajo!
  • coelho
    20 out, 2016 braga 20:18
    Boa noite, O problema e da nossa policia pois esta não tem competência para uma operação deste nível, . Querem apanhar o homem chamem as nossas tropas especiais ( Fuzileiros, Comandos, Ranger ) E num prazo máximo de dois dias o homem em fuga e capturado. Mas isso não convém porque era uma bofetada de luva branca para a nosso policia.
  • Miguel
    20 out, 2016 Lisboa 15:34
    Do que é que estão à espera para utilizar o exército?... Será que o nosso exército só serve para servir a NATO? Ponham o exército a patrulhar as matas.
  • r
    20 out, 2016 porto 15:06
    Até hoje já morreram 2 pessoas, mas já podiam ir em pelo menos 6 mortes ou até mais. Como é possível um simples homem andar á solta, fugido á cerca de 10 dias??? Logo no primeiro dia quando o suspeito fugiu para a Serra em Arouca, a Gnr fazia o Cerco conforme o fez e logo ali deveria ter sido chamado um pelotão de uma Força Militar Portuguesa, ou comandos, ou Rangers ou Fuzileiros ou Para-quedistas, forças adaptadas a este tipo de cenário e a este tipo de Trabalho. Fica o porquê de não se atuar assim e já agora o para quê de termos um Exército ??? Todos sabemos que se existe alguém capaz de resolver esta situação tendo em vista o cenário onde o fugitivo se esconde, esse alguém é uma força especial militar do exercito Português homens treinados para capturar seja quem for neste tipo de terreno ou cenário. É incrível a falta de coordenação entre o estado policias para tomar a decisão de pedir ajuda a quem tem competências para terminar de uma vez com isto.
  • rosinda
    20 out, 2016 palmela 12:41
    Agora e porque nao dorme! O presidente da republica tambem dorme pouco e por enquanto ainda nao matou ninguem!
  • rosinda
    20 out, 2016 palmela 12:35
    Eu ja sabia que ia sobrar para os cacadores ! O meu marido e cacador e esta a trabalhar neste momento.