Tempo
|
A+ / A-

​"E se respirássemos um bocadinho menos?" A solução de uma criança para o aquecimento global

13 set, 2016 - 22:03 • Inês Rocha , Paulo Ribeiro Pinto

Na Pastoral Social da Igreja, o ambientalista Francisco Ferreira diz que as alterações climáticas não são uma brincadeira de crianças. O dirigente da associação ZERO acredita que a resposta para esta ameaça não pode ficar fechada nos gabinetes e que a mudança começa nas pessoas.

A+ / A-
​"E se respirássemos um bocadinho menos?" A solução de uma criança para o aquecimento global
​"E se respirássemos um bocadinho menos?" A solução de uma criança para o aquecimento global

A história foi contada durante o XXX Encontro da Pastoral Social, em Fátima. Francisco Ferreira lembrou uma criança que, durante uma aula, deu a solução para travar o aquecimento global: "Se respirássemos todos um bocadinho menos, haveria menos dióxido de carbono a ser enviado para a atmosfera".

A solução é criativa, mas o dirigente da associação ambientalista ZERO explica que as quantidades de dióxido de carbono associadas à queima de combustíveis fósseis são bastante superiores às da respiração de mais de 7 mil milhões de pessoas em todo o mundo.

E o que faz um engenheiro do ambiente num encontro da Pastoral Social da Igreja? Francisco Ferreira acredita que a resposta para as alterações climáticas não pode ficar fechada nos gabinetes técnicos e que a mudança começa nas pessoas.

É necessário "colher os vários contributos de diferentes áreas, mais engenheirais, mais científicas, mas também mais sociais, económicas, de governança, para conseguir o cozinhado ideal para mudar as comunidades próximas e, no fundo, estar também a mudar o mundo e preservar o planeta que está, claramente, ameaçado", disse o ambientalista, à margem do encontro.

O encontro da Pastoral Social parte da encíclica do Papa Francisco, "Laudato Si’, um documento muitas vezes designado de encíclica verde, que reflecte sobre os efeitos da actividade humana na natureza.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Lapa
    14 set, 2016 AMADORA 17:14
    Isto de organizações ambientalistas parecem-se com as seitas religiosas que prometem a salvação e o paraíso.