|
A+ / A-

Catarina Matos. A portuguesa candidata a pessoa mais cómica do mundo

07 set, 2016 - 15:47

Está na “Funniest Person in the World Competition”. “Gosto muito de poder ser a pessoa que carrega a bandeira de Portugal”, diz.

A+ / A-

Durante dez anos, Catarina Matos trabalhou como criativa numa agência de publicidade. Em 2013, emigrou para São Paulo, Brasil, depois de o marido ter aceitado uma proposta de trabalho. A mudança de vida despertou-lhe um sonho já antigo: o humor. Hoje, Catarina é a única humorista portuguesa na “Funniest Person in the World Competition”, organizada pelo clube de comédia norte-americano Laugh Factory.

Tudo começou numa sessão de “open mic” no Teatro Folha, em São Paulo. Pouco tempo depois, Catarina Matos tornou-se profissional de “stand up comedy” no Brasil.

Depois de enviar um vídeo, “avaliado positivamente por um júri”, Catarina passou à segunda fase da “Funniest Person in the World Competition”. A decisão será tomada pelo público. Os 88 vídeos a concurso estão no site indi.com e aqueles que gerarem maior interacção – através de “likes” e partilhas – carimbam a passagem à próxima fase.

A comediante portuguesa, que agora vive em Berlim, na Alemanha, está consciente da dificuldade em passar à terceira fase. Afinal, Portugal tem 10 milhões de habitantes, enquanto concorrentes de países como o Brasil “podem contar com o apoio de 200 milhões de pessoas”.

“Penso que é a primeira vez que um português concorre neste concurso e eu gosto muito de poder ser a pessoa que carrega esta bandeira”, diz Catarina Matos.

“Estou muito orgulhosa de levar o nome do nosso país ao resto do mundo, ainda por cima porque a nível de humor não temos muito reconhecimento internacional. É uma excelente responsabilidade.”

“Ser humorista mulher não é fácil”

Ser mulher na comédia não é fácil, diz Catarina Matos. Os estereótipos “estão muito enraizados na nossa sociedade”. E dá o exemplo da humorista norte-americana Amy Schumer, que foi convidada por um espectador a mostrar uma parte do corpo.

“O público já devia estar habituado a vê-la em palco e a actuar, mas mesmo assim continua a ser alvo de alguns tipos de machismo e sexismo. Eu tento rir-me ao máximo de algumas situações porque na verdade ‘a rir se corrigem os costumes’”, assume.

Catarina Matos quer “ter uma curva ascendente” na carreira para se sentir realizada – sonha actuar nos Estados Unidos e no Reino Unido. Apesar de ter começado em 2013, a carreira da humorista teve uma rápida ascensão. “Aconteceu tudo muito rápido e foi tudo tão bom. Aprendi e cresci muito com imensas pessoas.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alice Coelho
    07 set, 2016 Mealhada 21:56
    O mundo do humor ficaria a ganhar grandemente, se a Catarina entrasse nesse mundo. Ela é mto especial!
  • Segredo
    07 set, 2016 Segredo 20:49
    Era engraçado perceber o que ela diz.....