|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Utentes alertam para “vertiginosa degradação” do Metro de Lisboa

30 ago, 2016 - 07:44

Criticam as sucessivas situações de falhas e interrupções na circulação, a falta de motoristas, as carruagens sobrelotadas, sem conforto nem condições de segurança.

A+ / A-

A Comissão de Utentes dos Transportes de Lisboa alerta para a alegada degradação do serviço prestado pelo Metropolitano de Lisboa, considerando que prejudica a mobilidade dos utentes na cidade.

Numa nota, a Comissão realçou que "todos os dias se sucedem situações e problemas que demonstram a vertiginosa degradação do serviço público" prestado pelo Metropolitano de Lisboa, pelo que se assiste "à ocorrência sucessiva de 'perturbações na linha'", somando-se as situações de falhas e interrupções na circulação.

A comissão critica a redução do número de comboios em circulação - que atribui à falta de motoristas do Metro e à falta de manutenção e às avarias do material circulante -, as plataformas e carruagens sobrelotadas, sem conforto nem condições de segurança, além da degradação física das estações.

Cecília Sales, da Comissão, realçou, em declarações à agência Lusa, sobretudo o mau funcionamento da Linha Verde, onde circulam apenas três carruagens por comboio, porque a plataforma da estação de Arroios não permite o funcionamento com seis carruagens, estando prometidas obras de alargamento.

"O serviço prestado pelo Metropolitano de Lisboa está longe de servir as necessidades da população que reside ou trabalha na cidade de Lisboa, afastando-se daquele que deve ser o seu objectivo fundamental: assegurar a prestação de um serviço público de qualidade que garanta o direito à mobilidade das pessoas", pode ler-se na mesma nota.

A associação de utentes atribui ao "anterior Governo e à anterior administração do Metro" as principais responsabilidades "pelo desastre que está a acontecer", mas sublinhou que a actual administração está a dar continuidade aos objectivos do anterior Governo, "com a complacência e passividade da Câmara Municipal de Lisboa e do actual Governo", que prometeu resolver estes problemas, sem concretizar estas promessas até agora.

Numa nota que intitulou "Quando 'as perturbações' passaram a ser a norma quem fica perturbado são os utentes", a Comissão exige "a imediata contratação dos trabalhadores em falta nos sectores operacionais" do Metro, a "imediata libertação de verbas para que se faça a adequada manutenção do Metropolitano de Lisboa e que este tenha os comboios necessários à reposição da oferta", que se dê "prioridade ao alargamento da estação de Arroios para recolocar a linha verde a seis carruagens".

A partir da próxima semana, a Comissão de Utentes irá desenvolver acções de informação e de denúncia junto dos utentes do Metro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Susana
    27 out, 2016 Parede 18:48
    Cara comissão...o vosso protesto é invisivel e não tem expressão! A administraçao do.metro e todas as entidades do estado responsáveis por este transporte publico assistem passivamente a esta degradação. É im crime fazer isto as pessoas.....talvez fossais util mover em tribunal uma açao contra o estado Português. Antigamente um bilhete de metro cistava 30centimos e funcionava. Agora as pessoas quase correm risco de vida para usar este transporte e o estado nao faz nada para nos defender. E a vissa comissão esta a ser fraca
  • André
    31 ago, 2016 Mafra 13:07
    Tem mesmo graça isto !! E os 30 novos funcionários prometidos por António Costa ? Isso não dizem porquê ? Até gostava de aproveitar para entrar...lol,algo que cada vez é mais difícil também pelos motivos que irei referir. O anterior governo apenas tentou manter e salvar o serviço para que a empresa não fosse mesmo ao fundo de vez e claro...tanta greve só a afundou cada vez mais. Se a culpa não fosse do governo anterior é que se achava estranho. Concordo com a questão das subconcessões,era o necessário para esta empresa especificamente,para se pagar as dívidas e fazer os investimentos necessários e manutenções. Sim sou de Direita (PSD) e sim digo isto por gostar do serviço prestado e sei que podia ser muito melhor que aquilo que é,tem potencialidades.
  • António Soares
    31 ago, 2016 Odivelas 08:55
    Um dos maiores investimento a ser feito é o da automatização dos comboios do metro, com supervisão a partir de uma central. Os argumentos dados por maquinistas quando fazem greve são de facto bastante válidos e demonstram que a sua utilidade já está ultrapassada e deve abrir caminho à automação. Não tendo particular fascínio pela Alemanha é de notar que a companhia de comboios alemã decidiu fazer exactamente isso a nível nacional, integrando alguns maquinistas nas funções de controlo remoto e eliminando a longo prazo a presença de maquinistas nas composições. - https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_automated_urban_metro_subway_systems
  • ver para crer!
    30 ago, 2016 Santarém 18:36
    Se têm queixas vão fazê-las à CGTP! Quando se trata de greves para aumento de salário e menos trabalho lá estão eles na primeira linha portanto exijam-lhes que se mantenham lá também para os deveres a cumprir não venham agora com tretas também exigir mais do contribuinte que nem sequer senta o traseiro em tais transportes que contribua ainda mais para tais empresas já sobejamente deficitárias, têm aí agora toda a papinha a jeito, governo e sindicatos tudo em uníssono portanto mostrem lá os tais milagres anunciados.
  • joao
    30 ago, 2016 lisboa 18:09
    Reversão nas concessões dos transportes públicos para quê? fazer figura? Será que é melhor deixa-los degradar ou concessionar a quem tem capital para o fazer sem prejudicar o transporte público. É que o tempo da dívida escondida para pagar os défices dos transportes públicos acabou em 2011 com a troika, agora vai tudo à despesa do estado . O PS\ PCP \ BE vivem num tempo que já não existe...
  • aC
    30 ago, 2016 lx 18:05
    Vão pedir contas ao PCP-CGTP. Se fizessem menos greves talvez houvesse mais dinheiro,.
  • Isabel
    30 ago, 2016 Lisboa 17:39
    Na estação de S. Sebastião, linha vermelha, os passageiros sobrem e descem todos pelo mesmo lado, quando, como é natural, existem dois cais na estação. As pessoas quais se atropelam, pois uma querem apanhar o metro e outros querem sair. Em caso de urgência, provavelmente, ninguém escapa. :(
  • Carlos
    30 ago, 2016 Porto 16:45
    Gostava de vos ver no metro do Porto, aí iriam ver que é degrado e desconforto, numa viagem que de carro demora 15 minutos aproximadamente Vila do Conde - Porto, de metro demoramos exactamente 45 minutos, em carruagens sobrelotadas muitas vezes, ar condicionado nem senti-lo. Maquinas da compra de bilhetes avariadas, frequencias de passagem de metros astronómicas já cheguei a esperas 50 minutos por um metro com circulação dita normal (sem atrasos)....
  • 30 ago, 2016 15:34
    E se digo bem do funcionamento do metro sou do PS, mas se disser mal sou do PSD...se no ano passado dissesse mal do metro era do PS, e se dissesse bem era do PSD. Mas o metro está ou não degradado? Não, mas está a piorar, é certo. Culpas? De quem não lá mete dinheiro para melhor, de quem tenta cumprir défices à custa do apertão à bolsa, seja para coisas supérfluas, seja para coisas necessárias. Sejam razoáveis.
  • Pocodero
    30 ago, 2016 LX 14:42
    Enquanto não acabarem com o Metro como local de pouso de taxistas e portadores de cartão da CGTP as dificuladades vão continuar...