A+ / A-

Beleza "surpreendida" com veto do seu nome para a Caixa

18 ago, 2016 - 14:00

Presidente da Fundação Champalimaud sublinha que não aceitaria receber qualquer remuneração para ser administradora do banco estatal.
A+ / A-

A ex-ministra Leonor Beleza está surpreendida com o veto do Banco Central Europeu (BCE) ao seu nome para futura administradora não-executiva da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e reiterou que o cargo seria não remunerado.

"Fui surpreendida hoje pelas notícias veiculadas pela comunicação social sobre o processo de apreciação da minha possível nomeação como administradora não-executiva da Caixa Geral de Depósitos", afirmou a actual presidente da Fundação Champalimaud, questionada pela agência Lusa.

O BCE aprovou os 11 nomes propostos pelo Governo para o Conselho de Administração da CGD, mas rejeitou outros oito, entre os quais o de Leonor Beleza, por excederem o limite de cargos em órgãos sociais de outras sociedades, confirmou na quarta-feira o Ministério das Finanças.

"Disponibilizei-me para fazer um esforço suplementar de trabalho e colaborar com uma equipa independente na condução de uma instituição vital para o país, tendo tornado claríssimo desde o princípio deste processo, para mim em Abril passado, que não aceitaria receber por isso qualquer remuneração", disse Leonor Beleza.

A ex-ministra da Saúde dos dois governos do PSD liderados por Cavaco Silva disse que desde o início "não estava disponível" para "pôr em causa ou diminuir de intensidade" o seu envolvimento como presidente da Fundação Champalimaud, garantindo que continuará a cumprir essa missão.

No início de Junho, fonte próxima de Leonor Beleza indicou à Lusa que a ex-ministra tinha sido convidada para integrar o novo Conselho de Administração da CGD, liderado por António Domingues, um cargo que aceitou, realçando tratar-se de um "lugar não remunerado".

Poucos dias depois, o ministro das Finanças, Mário Centeno, disse que o Conselho de Administração da CGD iria ter 19 elementos, sete executivos e 12 não executivos, sem indicar oficialmente os nomes da nova equipa liderada por António Domingues.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Areosa
    18 ago, 2016 Macedo de Cavaleiros Bragança 22:08
    -Comentários para quê? Que declarações tão ingénuas...sobre receber ou nao receber mais uns €€€€€....!
  • Dias
    18 ago, 2016 Lx 20:23
    Então ela que foi uma eximia ministra da saúde, claro que tem que ficar surpreendida.
  • Ernesto
    18 ago, 2016 Lisboa 16:22
    Esta senhora já tem de certeza muito que fazer e todos sabemos que o tem feito na Fundação Champalimaud, agora gostava de saber porque razão aceita um cargo mesmo de BORLA na CGD, será que lhe sobram horas de trabalho na Fundação para as dedicar à CGD ou é como aqueles administradores que trabalham mais de 24 horas por dia.
  • José
    18 ago, 2016 Braga 16:04
    Haja paciência...Sem dúvida, é mesmo assim... Em Portugal, temos sempre o eterno problema, que peçam aos outros, mas que não venham mexer connosco, com os nossos interesses... Mais uma vez, aqui está espelhada a miséria deste País. Salários milionários são pagos, para que estes senhores levem bancos, empresas, e até o próprio Estado à falência… Em primeiro lugar, existem muitas pessoas licenciadas com mestrados e doutoramentos inscritas no centro de emprego, que até não se importavam de trabalhar, com mais qualificações que muitos destes senhores... Acumulação de cargos...Sem dúvida para amigos...Pelos visto, não querem diminuir a taxa de desemprego...Formação para que, se há licenciaturas feitas ao domingo...Mas, no meu disto tudo, ainda está o mais importante, que é a falta de iliteracia do povo, que pouco questiona, não põe em causa e tudo aceita de animo leve… E assim, se vai mantendo o povo estupidecido ... Mas, de uma coisa não tenha dúvida, este estado de coisas só acontece porque nós deixamos...
  • Zedonabão
    18 ago, 2016 Tomar 15:27
    Surpreendida? Eu e a grande maioria dos Portugueses, não! E toda a gente sabe os "porquês"!...
  • EUGÉNIO BAPTISTA
    18 ago, 2016 COVILHÃ 14:26
    Não percebo qual a estranheza... Escolhem-se os administradores pelo conhecimento e competência técnica bancária, pela partidocracia, ou pelos "lindos" olhos...francamente...
  • dr Xico
    18 ago, 2016 Lisboa 14:16
    MAS AQUILO DO TIO CHAMPALINOU já secou?? olha que esta senhora percebe de tudo heiii até dá para exigir tachos ao PS... PS dá bons empregos sim senhora....