Tempo
|
A+ / A-

Emigrantes lesados vão propor ao Novo Banco mediação pela CMVM

12 ago, 2016 - 12:39

Emigrantes protestaram esta sexta-feira em frente à sede do Novo Banco, em Lisboa.

A+ / A-
Emigrantes lesados do BES vão reunir com o Banco de Portugal
Emigrantes lesados do BES vão reunir com o Banco de Portugal

Os emigrantes lesados do Banco Espírito Santo (BES) vão, até ao final deste mês, propor ao Novo Banco que resolva o conflito através da mediação pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O anúncio foi feito pelo presidente da Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP), Luís Marques, durante o protesto desta sexta-feira de manhã em frente à sede do Novo Banco, em Lisboa.

"A arbitragem vai ser proposta até ao fim do mês", afirmou Luís Marques, adiantando que este é um novo mecanismo que a CMVM disponibiliza para mediação de conflitos.

A CMVM publicou em Julho um regulamento com as regras da mediação de conflitos entre investidores não institucionais e as entidades que supervisiona.

O caso dos clientes que se sentem lesados em bancos recentemente alvo de resolução, como os que protestam esta sexta-feira, pode enquadrar-se num procedimento de mediação multilateral.

Dezenas de emigrantes lesados do BES estão desde as 11h30 concentrados em frente à sede do Novo Banco, na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

Depois da concentração junto à sede do Novo Banco, os emigrantes lesados irão marchar até ao Banco de Portugal, na Rua do Comércio.

Os manifestantes não aceitam a solução comercial proposta pelo Novo Banco que foi aceite, contudo, por 6 mil clientes emigrantes, que tinham investido cerca de 500 milhões de euros em produtos de poupança.

Estes clientes não aceitaram a proposta do Novo Banco por considerarem que não era justa e não se adequava ao seu perfil, uma vez que implicava a subscrição de obrigações de longa duração do Novo Banco e em que os depósitos a prazo estarão condicionados ao valor dessas obrigações.

A AMELP é constituída por mais de 400 associados, sobretudo trabalhadores emigrantes portugueses, e já protagonizou vários protestos em Paris e em cidades portuguesas, com o objectivo de reaver as poupanças dos emigrantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Gonçalves
    14 ago, 2016 Feijó 17:09
    Mais um IMPOSTO para os contribuintes portugueses . Já estamos habituados . O Povo é sereno . Enquanto alguns ( muitos ) estão no Algarve ( administradores do BES ) . Enfim, haja saúde .

Destaques V+