Tempo
|
A+ / A-

Governo vai enviar reforços para a Madeira

09 ago, 2016 - 19:23

Equipa especial será formada por elementos do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro (GIPS) da GNR, uma força especial de bombeiros e INEM.

A+ / A-
Governo vai enviar reforços para a Madeira
Governo vai enviar reforços para a Madeira

A Madeira pediu ajuda e o Governo de Lisboa vai enviar reforços para auxuliar nas operações de combate aos fogos que assolam a região autónoma.

A equipa que vai seguir do Continente será formada por cerca de 30 elementos do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro (GIPS) da GNR, bombeiros voluntários e profissionais e INEM.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou numa conferência de imprensa na Autoridade Nacional de Protecção Civil que a missão vai partir ainda esta terça-feira para a Madeira, num avião da Força Aérea.

A situação na Madeira agravou-se nas últimas horas devido ao vento forte que se faz sentir na zona do Funchal.

De acordo com o governo regional, 27 casas foram atingidas pelas chamas e 170 pessoas tiveram de receber tratamento hospitalar.

Num balanço das operações realizado pelas 19h00, o presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cacôfo, indicou que a situação se agravou nas Barbosas e no Curral dos Romeiros, na zona alta do concelho.

"Neste momento o fogo está descontrolado nestas zonas", afirmou, referindo que nestes locais há pessoas a serem retiradas de casa.

Também as zonas da Choupana, do Hospital João de Almada e de Santa Luzia geram preocupação entre as autoridades.

Este hospital não foi evacuado, mas alguns familiares retiraram já doentes, indicou Paulo Cafôfo. Os bombeiros estão no local a evitar que um tanque de gás seja atingido.

Na zona da Choupana, um hotel foi também evacuado.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Lino Gouveia
    10 ago, 2016 Machico 00:13
    Helicopteros carregados de água com certeza abrandavam ou acabavam com este sofrimento. As autoridades da madeira não têm coragem para prever no orçamento regional verba para isto . Seria benéfico gastar 4 ou 5 milhões e não permitir que tanta floresta, habitações e outros bens fossem consumidos desta forma violenta. Tanto sofrimento. Vamos pagar mais 1 ou 2% de imposto e colocar um ou dois helpt disponíveis para acudir estas situações pelo menos no período de verão.
  • O país da diversão
    09 ago, 2016 Lisboa 23:33
    Neste país da diversão há sempre meios para alimentar o circo e manter o povo alegre, mas não para o essencial. Os meios já lá deviam estar desde o inicio do dia. Não conhecem o ditado que diz "Mais vale prevenir que remediar". É preciso apostar na prevenção, guardas florestais, etc.
  • isa
    09 ago, 2016 lx 23:14
    "A Madeira pediu ajuda." ...so assim é que segue ajuda. Sera que era preciso pedir,....basta ver Antonio Costa o tamanho da desgraça, nem era preciso pedir , a iniciativa devia de ter partido de forma natural, solidaria altruista...mas claro . Não existe vemos morrer mas deixamos nao pedem...é uma porra este mundo
  • Paulo Santos
    09 ago, 2016 Albufeira 23:01
    Governo vai enviar 30 elementos para reforço de combate aos incêndios! 30 elementos?! Só pode ser brincadeira deste governo! Como estão mais preocupados em controlar os custos para os meios de combate aos incêndios, preferem deixar arder o país e neste caso a madeira. Já que se prontificaram a repor as regalias aos FP, deveriam era enviar uns milhares para a madeira, aos menos ficavam com recursos humanos válidos para alguma coisa.