euro 2016

Éder tirou a voz aos relatores da Renascença

11 jul, 2016 - 00:58

"5, 4, 3, 2, 1... CAMPEÕES!" A emoção reinou nos momentos que se seguiram ao apito final: Portugal sagrou-se campeão da Europa e a voz quase falhou à equipa aos comandos da emissão da Renascença: Pedro Azevedo, Sílvio Vieira, Eurico Gomes, José Nuno Azevedo e Nuno Presume.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor. Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Reportagem - Segundo Torrão, o maior bairro de lata de Almada - 25/03/2019

Reportagem

Segundo Torrão. Viagem ao maior bairro de lata de Almada

Em Almada, há mais famílias a viver em bairros ilegais do que nos anos 90. O maior chama-se Segundo Torrão e serve de casa a 2500 pessoas.

Mães ocupas por necessidade

Edição da Noite

Mães ocupas

Na Edição da Noite desta quinta-feira, 29 de novembro de 2018: uma grande reportagem sobre mães solteiras em dificuldades que ocupam casas da Câmara de Lisboa financeira; uma entrevista ao vice-presidente do PSD, Carlos Carreiras; uma entrevista ao bispo de São Tomé, D. Manuel dos Santos, sobre a instabilidade política no país.

Reportagem de Alfama para Cacilhas - Paulo - Foto: Joana Bourgard/RR

À margem de Lisboa. Como Alfama se está a mudar para Cacilhas

São praticamente vizinhanças inteiras que têm de atravessar o Tejo para encontrar uma casa que podem pagar. Apontam culpas ao turismo, que descaracteriza e encarece o seu bairro, Alfama. Regressar, garantem, “é impensável”. “Nem casas há!”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuela
    13 jul, 2016 Lisboa - Portugal 03:21
    Eu vi este jogo pela TV, claro! como todos os outros portugueses! mas o som relatado pela Renascença no meu rádio de pilhas! a voz emocionada do relator e os meus olhos molhados e mais abertos que nunca! e o golo da Renascença ouviu-se ainda a bola não tinha entrado na baliza, pela imagem! porque parece que a rádio se antecipa!... o som chega primeiro, que a imagem! não me perguntem por quê? porque eu não sei responder! Eu gritei iiupi! e cá em casa, pensaram que eu delirava, de seguida Gooolo! eu acho que o som foi colectivo, ouviu-se por Portugal inteiro! e depois o entusiasmo... na rua, na Rádio, na TV e a nossa bandeira brilhava, tinha mais brilho do que nunca! o contraste do verde e do vermelho dançava ao vento, fazendo ondas de alegria... Lembro-me de quando, há muito tempo, ainda não havia televisão na minha casa, andava eu na escola preparatória, lá em casa todos sentados junto ao rádio, também festejámos as finais. Por isso, a minha mania de ouvir o futebol pela Rádio! é muito mais interessante! mesmo que esteja a ver pela TV, porque os relatores da Rádio, explicam todos os pormenores, que na TV basta olhar e ver, só que há certas coisas, que nem sempre reparamos. Obrigada Renascença! Um abraço.
  • Teresa Ferrer Passos
    11 jul, 2016 Lisboa 15:32
    Parabéns à Seleção de Portugal! Parabéns ao seu excelente Treinador, Fernando Santos! Parabéns a Cristiano Ronaldo, a ser capitão de equipa, mesmo depois do acidente ao princípio do jogo! Parabéns, em especial, pela maneira audaz e entusiástica com que lutou até ao último minuto pela vitória sobre a equipa de França, equipa que se ufanava de ser a mais forte da Europa! E Portugal mostrou que não se deve desprezar (como fizera a opinião pública francesa) aqueles que parecem mais fracos, pois são esses que, no momento mais imprevisto, se revelam os mais fortes. O jogador Éder bem exemplo disso o foi, ontem, em Paris, na final do Campeonato Europeu de Football. Parabéns aos portugueses que, em todas as partes do mundo, foram a retaguarda da esperança na vitória final!