|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

FC Porto

Helton. O desperdício da "mística", segundo Cajuda

28 jun, 2016 - 18:15 • Rui Viegas

Histórico guarda-redes abandona o Dragão após 11 anos de ligação. Manuel Cajuda, o seu primeiro treinador em Portugal, lamenta a saída.

A+ / A-

Manuel Cajuda, o primeiro treinador de Helton em Portugal, confessa-se triste com a rescisão do guarda-redes com o FC Porto.

O técnico português foi o primeiro a orientar o brasileiro em Portugal, então na União de Leiria (2002/03). Em declarações a Bola Branca, esta terça-feira, Cajuda explicou que, com a saída do guardião, ao fim de mais de uma década, os dragões perdem a tão falada "mística".

"Vejo com tristeza o facto de o Helton ter de abandonar o FC Porto e, provavelmente, o futebol português. Helton ainda transportaria, entendo eu, aquilo que o FC Porto mais se lamentou nas últimas duas, três épocas: o perder de alguma a mística, num clube ganhador, ou quase sempre ganhador", referiu o treinador.

Aliás, Cajuda lembrou outro veterano, Gianluigi Buffon, defensor das redes da selecção italiana, para questionar a validade da opção dos dragões. "Poderão dizer-me que será a idade, mas depois de ver o Buffon a jogar com 40 anos, a idade é secundária. Mas respeito a grandeza do FC Porto e as suas decisões. É soberano", assegurou.

Terminado o ciclo no Dragão, o técnico luso não advoga que Helton continue a jogar. "O brilhantismo que exibiu no FC Porto não deve ser perdido em equipas secundárias", defendeu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • F.BATISTA
    29 jun, 2016 gaia 16:54
    SNR.CAJUDA ,É COM TRISTEZA QUE VEJO HELTON DEIXAR DE JOGAR FUTEBOL.NINGUÉM É ETERNO.AGRADEÇO O QUE FEZ PELO MEU F.C.DO PORTO.AGORA ESPERO, QUE O PRESIDENTE NÃO TENHA MEMÓRIA CURTA, E O CONVIDE PARA FICAR,POR MÉRITO,NO PORTOE NAS ESTRUTURAS DO FUTEBOL.BOA SORTE PARA O SEU FUTURO.ADMIRO-O COMO GRANDE JOGADOR,MAS TAMBÉM O ADMIRO COMO HOMEM DE H-GRANDE.SAUDAÇÕES DESPORTIVAS.
  • Maria Manuela Nunes
    29 jun, 2016 Queluz 12:04
    Sempre gostei do Helton. Tenho pena que deixe o meu clube. Desejo-lhe as maiores felicidades. Foi um grande guarda redes e ajudou o FCP a ganhar muito prestígio. Oxalá não venham a lamentar a decisão.
  • Águia pesqueira
    28 jun, 2016 alcains 21:25
    Tem toda a razão Cajuda. Porém permita-me este pequeno "grande nada". O sr. pinto, CEO da agência de compra,venda e aluguer de jogadores, " Pinto-Filhos & Associados Lda" , sediada no final da A1 a norte, com particular vocação para transacções de jogadores ao metro e quilograma, entendeu que o até agora ídolo, figura mítica daquela agremiação no final da A1, repito, está muito magro. Perdeu imenso peso após operação e recuperação da lesão que o impediu de jogar durante largos meses.Em síntese, magro como está, terá pouco valor comercial, e a comissãozinha será baixa..Vai sair!