|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

Costa afirma que os “números” da Caixa “querem dizer coisas muito diferentes"

22 jun, 2016 - 13:55

O primeiro-ministro continua relutante em falar de valores para o plano de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos. Partidos da oposição querem saber mais.

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta quarta-feira que o Ministério das Finanças dará informações sobre a Caixa Geral de Depósitos quando "for oportuno", insistindo que é prematuro falar sobre números antes de concluir conversações com a Comissão Europeia.

"Enquanto não tivermos concluído as conversações com a Comissão Europeia é obviamente prematuro estarmos a falar sobre números e sobretudo sobre números que querem dizer coisas muito diferentes", afirmou António Costa.

Na manhã desta quarta-feira a Antena 1noticiou que o plano de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos está pronto, mas ainda não está fechado. A Renascença apurou que o valor em cima da mesa para o processo é de 5,1 mil milhões.

"Artimanhas tácticas"

Já o PSD espera que o pedido do PS para uma audição urgente do governador do Banco de Portugal, não seja para impedir o funcionamento de instrumentos como uma comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos.

"Esperamos que o PS não comece a usar artimanhas tácitas para tentar impedir o funcionamento de instrumentos e controlo democrático, como é a comissão de inquérito", disse à Lusa o deputado social-democrata António Leitão Amaro.

Para o PSD, destacou, "só o esclarecimento e a transparência de uma comissão de inquérito pode fazer estabelecer a confiança" nas instituições.

Os deputados do PS da Comissão de Orçamento e Finanças "requereram a vinda do senhor governador com carácter de urgência para esclarecer a situação da Caixa Geral de Depósitos", afirmou na terça-feira à noite à Lusa o deputado socialista João Galamba.

Segundo o parlamentar socialista, é "importante" que o governador do Banco de Portugal, "responsável máximo pela estabilidade do sector financeiro e "um dos principais responsáveis pelo segundo pilar do programa de ajustamento da 'troika' que dizia respeito à estabilidade do sector financeiro", esclareça os "contornos" da recapitalização da Caixa.

Em 2012, o Estado injectou 750 milhões de euros directamente em acções na Caixa Geral de Depósitos e ainda 900 milhões em instrumentos de capital contingente, dívida pela qual o banco público paga juros anuais.

Para João Galamba, é necessário Carlos Costa explicar as razões pelas quais quatro anos depois de ter sido feito um "levantamento exaustivo da situação" do banco e das necessidades de capital se perceber que o "problema do sector financeiro português não está resolvido e que a Caixa "tem necessidade de capital".

CDS. "Estamos a falar de dinheiro dos contribuintes e não do Governo"

Já o porta-voz do CDS, João Almeida em decalarações à Renascença afirma que as notícias sobre o plano de recapitalização são mais um dado novo que “é do total desconhecimento do Parlamento.”

“Estamos a falar de dinheiro dos contribuintes e não do governo. Não percebemos que se continue a desenvolver um processo de negociações com Bruxelas, em que o governo sabe o que está em causa, os partidos que trabalham com governo sabem o que está em causa e o Parlamento e o País não sabem o que se passa”, resumiu João Almeida.

Esta questão reforça, na opinião do deputado centrista, a importância de um comissão de inquérito pedida pelo PSD e o CDS.

PCP enumera condições

O PCP também comentou o caso da recapitalização da Caixa em comunicado. Os comunistas negam ter dado aval ao governo para o plano de recapitalização do banco público.

No mesmo documento, impõe ainda as condições para aprovar o documento do executivo socialista. O PCP diz que chumbará qualquer texto que preveja a “privatização parcial, despedimentos e desvalorização do papel do banco público, pondo em causa as condições necessárias e indispensáveis para que a CGD possa exercer em plenitude o seu papel enquanto instrumento insubstituível numa política de crédito, captação de poupanças e financiamento da economia.”

À Renascença, fonte do Bloco de Esquerda confirma que o Governo "está a trabalhar conosco num plano de recapitalização." As conversações não serão conclusivas porque a mesma fonte revela que o partido precisa de mais dados. "A recapitalização da Caixa depende das suas necessidades. É importante que o governo e o Banco de Portiugal divulguem os dados que têm sobre auditoria.

"Não falamos dos números. É o Governo que os deve anunciar", acrescenta o Bloco de Esquerda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • viva o xuxialismo!
    22 jun, 2016 Santarém 16:14
    O que o números da Caixa querem dizer é que o senhor Costa já não sabe mesmo o que dizer sobre tais números tal a dimensão que eles atingem e amanhã poderão já mesmo ser maiores pois parecem inchar a cada dia que passa, isto está a ser um pouco incomodativo para quem diariamente tenta confrontar o privado com o público e terá que acabar por concluir que este afinal não é melhor que o outro embora sejam defensores acérrimos do sector público que nos custa milhares de milhões em empresas deficitárias que temos teimosamente que continuar a alimentar.
  • Afinal
    22 jun, 2016 lx 16:09
    O que é uma comissão de inquerito pedida pelo PSd senão uma artimanha tática dos PSDs? Estes farsolas acusam os outros daquilo que eles proprios fazem!...Foi assim que Passos Coelho fez em 2011 para enganar muitos portugueses de boa fé, e continua a fazer parte da cartilha destes PSDs. Como reconhecem a sua incapacidade para tratarem dos asuntos com honestidade intelectual, há que fabricar artimanhas e lançar as intrigas aos outros! Só que a economia do país não se compadece com estes jogadas da direita mais radical, travestida de social democratas e os portugueses estão a pagar caro, tudo isto!
  • bobo
    22 jun, 2016 lisboa e outra 16:08
    Quer dizer, paga povo e não bufes Estou farto de sustentar vigarice entre a classe profissional politica gestora e banqueira
  • Pedro Andrade
    22 jun, 2016 Braga 15:46
    O Costa devia afirmar que os “números” da Caixa “querem dizer muitos ROUBOS diferentes"
  • m.g
    22 jun, 2016 algures 15:36
    A arte de mentir enganando o povo isto e a politica detes politicos todos iguais
  • Antonio Almeida
    22 jun, 2016 V.N. de Gaia 15:35
    ESTAMOS ENTREGUES HÁ BICHARADA.
  • JON
    22 jun, 2016 POR 15:23
    E já agora....para quando é que este Auto-Eleito 1ª ministro paga o IRS aos contribuintes?
  • José Saraiva
    22 jun, 2016 Viseu 14:59
    nada de surpreendente do VASELINA COSTA....QUEM PERDE EM NÚMERO DE VOTOS PODE SER 1º Ministro
  • CARDOSO
    22 jun, 2016 SEIXAL 14:56
    ESTE GOVERNO NÃO É MELHOR NEM PIOR DO QUE O ANTERIOR.SÓ QUE O ANTERIOR FOI ELEITO DEMOCRATICAMENTE E ESTE FOI POR UMA ENGENHARIA POUCO DEMOCRÁTICA.QUERO AVISAR QUE NÃO VOTEI NEM NO PSD NEM NO CDS.
  • bobo
    22 jun, 2016 lisboa e outra 14:38
    Prisão é pouco para quem vigariza o povo