Tempo
|
Euranet
Revista de Imprensa Europeia
A+ / A-
Arquivo
Revista de Imprensa de temas europeus (01/06/2016)
Revista de Imprensa de temas europeus (01/06/2016)

Revista de Imprensa

​União Europeia contra proibição da Uber e da AirBnB

01 jun, 2016 • André Rodrigues


A agência Reuters consultou as novas directrizes da Comissão Europeia em matéria de concorrência, que sugerem aos Governos nacionais dos 28 que não devem proibir, nomeadamente, a aplicação de transporte urbano Uber ou o site de aluguer de imóveis AirBnB.

Bruxelas argumenta que a restrição a este tipo de serviços deve ser justificada e proporcional ao interesse público em jogo. A Comissão sugere que as proibições absolutas sejam utilizadas apenas como último recurso.

No “Negócios”, “Chegou o mês da tempestade perfeita”. O jornal soma uma série de acontecimentos a ter lugar durante o mês de Junho e diz que este será o mês de todos os riscos: já amanhã, há reunião do BCE e um encontro da OPEP para discutir a produção de petróleo; no dia 15 a Reserva Federal norte-americana poderá avançar com uma subida da taxa de juro de referência; a 16, o Banco do Japão deverá tomar a mesma decisão. O calendário do “Negócios” antecipa novo Verão quente na Grécia, caso o país não receba a segunda tranche do empréstimo. E o dia 23 de Junho pode ser decisivo para o futuro da União Europeia e do Reino Unido. É o dia em que os britânicos decidem se querem ou não permanecer entre os 28.

De resto, o “Brexit” continua a multiplicar estudos de opinião. O jornal “Guardian” publica duas sondagens que apontam para a vitória dos eurocépticos: a primeira, realizada ao telefone, com pouco mais de 1.000 eleitores entre 27 e 29 de Maio. Nesta sondagem o “Sim” ao “Brexit” obtém 45% dos votos, contra 42 que defendem a permanência a que se somam 13% de indecisos. No inquérito online, o número de participantes duplica – cerca de 2.000 – e os apoiantes do “Brexit” correspondem a 47% do universo dos inquiridos. 44% defendem a manutenção entre os 28. Os restantes 9% estão indecisos.

No jornal “Público”, “Médicos Sem Fronteiras reavaliam relação com a União Europeia”. Em causa, o acordo assinado a 20 de Março para a devolução à Turquia de todos os refugiados que cheguem às ilhas gregas desde essa data. Em resposta, esta organização não governamental decidiu recusar todo e qualquer financiamento vindo de Bruxelas.

No “Diário de Notícias”, um artigo de opinião de Adriano Moreira aborda “As fragilidades da União Europeia”. Um espaço a 28 que, segundo este professor universitário, “enfrenta riscos externos que não previu e cuja importância cresce em face das debilidades internas que descura”. Para Adriano Moreira: a situação no Médio Oriente, a ameaça do Estado Islâmico, as situações na Síria, Iraque e Líbia, as tensões com a Rússia, as divisões entre Estados europeus constituem um somatório de factores que agrava o clima de desconfiança entre eleitores e Governos.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Domingos Gonçalves
    03 jun, 2016 Braga 22:44
    Sem comentários