Tempo
|
A+ / A-

Taxistas criticam directrizes europeias a favor da Uber

01 jun, 2016 - 13:54

Comissão Europeia avisa os Estados-membros que só em último recurso é admissível banir serviços online de arrendamento de casas ou de transporte de pessoas.

A+ / A-

Os taxistas consideram que as novas directrizes da Comissão Europeia que sugerem aos governos dos estados membros que se abstenham de proibir o uso da Uber são uma decisão à medida dos interesses desta aplicação de transporte urbano de baixo custo.

Em declarações à Renascença, Carlos Ramos, da Federação Portuguesa do Táxi, considera que a posição de Bruxelas não constitui propriamente uma surpresa e acusa o Governo português de ceder aos interesses de um operador que pretende monopolizar o mercado.

“Sempre dissemos que a Uber estava bem instalada no poder político e lamentávamos mesmo que o nosso Governo se tenha ajoelhado perante esta plataforma que se instalou em Portugal para dominar o mercado”, critica o responsável.

“Não é novidade que a Comunidade Europeia tenha tomado esta decisão. Vai ser difícil lutar contra um monstro destes. Porque não se fala das outras operadoras? Foi um fato à medida”, acrescenta ainda Carlos Ramos.

A Comissão Europeia avisa os Estados-membros que só em último recurso é admissível banir serviços "online" de arrendamento de casas ou de transporte de pessoas.

Um documento tornado público na terça-feira à noite sublinha que os Estados-membros não devem banir serviços como a Uber, no caso dos transportes, ou da Airbnb, no caso do arrendamento de casas. As directrizes pretendem estimular a “economia de partilha”.

Bruxelas defende, assim, que as restrições a este tipo de serviços devem ser justificadas e proporcionais ao interesse público. A proibição deverá, por outro lado, ser apenas aplicada quando houver uma razão de máximo interesse público.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Rui
    06 jun, 2016 Loures 22:27
    Portugal no seu melhor,Copiar o que vem do Estrangeiro. Para quê ter certificação,licenças,etc. e já agora licenciaturas,viva a Rebaldaria. Daqui a pouco vou a Tribunal , não preciso de licenciatura nem estar inscrito na Ordem dos Advogados.
  • Jose Santos
    02 jun, 2016 Belas 15:46
    Alguém conhece a MyTáxi? Experimentem .
  • Antonio Dias
    01 jun, 2016 Moita 16:56
    Bem-vindos á comunidades Europeia dos chulinhós de Brochelas! A Europa está a cair e os Ingleses vão abandonar o barco das ratazanas e baratas! Eles é que as sabem! Portugal não precisa de INVASORES, a comunidade Europeia faz esse servicinho. Os políticos são tanto honestos que, tanto beijão a mão a Deus, como beijão os pés ao Diabo. Parabens aos Alemães! Novamente conseguiram destruir a Europa, pelo caminho do falso Samaritano.
  • Paulo
    01 jun, 2016 Porto 16:53
    Tantos anos a enganar os utentes e agora querem continuar com a mama. Quando se chega a um aeroporto toda a gente foge dos taxistas, porque será?. Eu sei, viagens de 10 euros e cobrarem 50 a turistas desprevenidos, por exemplo. Semearam ventos e agora colhem tempestades. P.S.: Porque não fazem também uma aplicação para Taxis? Assim as pessoas saberiam que não seriam lubridiadas.
  • Luis
    01 jun, 2016 Lisboa 16:51
    A UBER pertence ao Banco Goldman Sachs, e toda a mafia fianceira instalada na Comissão Europeia são lacaios deles (leiam-se "comprados" por eles, inclusive o PAF mor esse Passos Coelho - em quem eu alias votei em 2011 mas reconheço que o homem é um dos piores políticos que este país já teve. A solução para os taxistas será (através da Associação) criarem rapidamente um site com uma aplicação semelhante à UBER (dizem que até já há empresas de taxias que a têem), operarem no mercado com base nas regras da UBER (descaracterizam os carros e a Associação passa a contrata-los de modo a pagarem menos impostos) e baixarem os preços (ainda abaixo dos da UBER).
  • silva
    01 jun, 2016 Portugal 16:49
    @rodrigo nada, deixa de ter as regalias de taxista e pode fazer o msm serviço que a uber deixa é de ter lugar de praça, poder circular nas linhas de bus, passa a ter de usar o cinto e deixa de manter os analfabrutos incompetentes da antral está assim tão dificil?
  • Tachista Profissiona
    01 jun, 2016 Lisboa 16:45
    Carlos Ramos, da Federação Portuguesa do Táxi, considera que a posição de Bruxelas não constitui propriamente uma surpresa e acusa o Governo português de ceder aos interesses de um operador que pretende monopolizar o mercado. Quem quer monopolizar o mercado sem quaisquer duvidas, é mesmo os táxistas ou será Tachistas? Acordem pra vida, a mama acabou. Adaptem-se ou dediquem-se à pesca do carapau de corrida.
  • Madala
    01 jun, 2016 Évora 16:35
    Haja concorrência e condutores de táxi educados, vestidos como deve ser e com a barba feita
  • Zé Açor
    01 jun, 2016 Açores 15:54
    Multinacionais e grande finança são quem manda na UE. A Democracia era verde e um burro - neste caso as citadas - comeu-as.
  • Rodrigo
    01 jun, 2016 porto 15:20
    O que aqcontece se um taxista retirar a sua identificação, descaracterizar o carro, e não pagar o alvará?

Destaques V+