|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Lisboa é a casa do ecumenismo durante quatro dias

31 mai, 2016 - 19:20 • Filipe d'Avillez

Encontram-se a partir desta terça-feira, em Lisboa, os Conselhos Nacionais das Igrejas da Europa. Portugal está representado pelo COPIC, que não conta com a presença da Igreja Católica, mas D. Manuel Clemente vai fazer uma apresentação aos delegados.

A+ / A-

Começou esta terça-feira, em Lisboa, o encontro dos Conselhos Nacionais das Igrejas da Europa, um organismo da Conferência das Igrejas da Europa (CEC).

É a primeira vez que Portugal acolhe este encontro ecuménico, que decorre na catedral de São Paulo, da Igreja Lusitana, ramo português da Comunhão Anglicana.

Para além dos Conselhos Nacionais, alguns dos quais contam com a colaboração da Igreja Católica, a CEC representa um total de 114 confissões religiosas de toda a Europa, sobretudo ortodoxas e protestantes.

Neste encontro, Portugal faz-se representar por D. José Jorge de Pina Cabral, bispo da Igreja Lusitana e dirigente do Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC). O papel das igrejas numa Europa laica, mas que enfrenta crises como a dos refugiados, está no topo da agenda até ao fim do encontro, na sexta-feira.

“Há uma preocupação e ao mesmo tempo um desejo comum das igrejas em toda a Europa de fazerem ouvir a sua voz no espaço público e neste caso trazendo a religião para o debate público”, explica D. José Jorge.

Outros temas incluem “a questão dos refugiados, a questão da pobreza crescente a nível da própria Europa e também o crescimento dos nacionalismos e dos extremismos políticos na Europa. Estas questões e desafios a nível social são também naturalmente incorporadas e reflectidas pela CEC, neste momento.”

A Igreja Católica tende a olhar com alguma cautela para organismos como o CEC ou o Conselho Mundial das Igrejas, de que não faz parte oficialmente. Em Portugal o COPIC conta com a presença da Igreja Lusitana, da Igreja Presbiteriana, da Igreja Metodista e ainda da Igreja Evangélica Alemã do Porto. Embora haja comunicação com a Conferência Episcopal, a Igreja Católica não faz parte do COPIC.

É por isso particularmente significativo que D. Manuel Clemente, patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, tenha aceite o convite para se dirigir aos presentes num dos dias do encontro. “É com muita alegria, e também expectativa, que se aguarda a intervenção do senhor cardeal D. Manuel Clemente, cuja presença é também um reconhecimento do papel destas igrejas não só em Portugal, mas também no estrangeiro, e é fruto realmente de uma colaboração e abertura da Igreja Católica em Portugal para a caminhada ecuménica”, diz D. José Jorge.

Para além de D. Manuel Clemente, outros portugueses farão apresentações ao encontro dos representantes dos Conselhos Nacionais das Igrejas da Europa, incluindo a socióloga Helena Vilaça, que falará sobre as “características e tendências da religião em Portugal”, e o advogado Fernando Loja, que falará sobre a experiência da Comissão da Liberdade Religiosa em Portugal, da qual faz parte.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.