Tempo
|
A+ / A-

Bispos apoiam manifestação de escolas com contratos de associação

28 mai, 2016 - 16:01

Protesto surge na sequência dos cortes anunciados nos contratos de associação com as escolas do ensino particular e cooperativo. Conferência Episcopal apoia liberdade de escolha dos pais.

A+ / A-

Veja também:


Os bispos portugueses anunciaram este sábado o seu apoio à manifestação organizada pela Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (AEEP), marcada para domingo.

Em comunicado, o conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa coloca-se ao lado "desta e outras iniciativas que, com ordem e civismo, defendam a liberdade dos pais escolherem a escola e os projectos educativos que querem para os seus filhos".

O protesto marcado para Lisboa surge na sequência dos cortes anunciados nos contratos de associação com as escolas do ensino particular e cooperativo.

A associação que representa estes colégios apresentou, nas últimas horas, um parecer do Tribunal de Contas, que sustenta a ideia de que os contratos de associação são válidos por três anos e que, durante esse período, as escolas podem abrir novas turmas.

Mas o Ministério da Educação contrapõe e diz, em comunicado divulgado este sábado, que a AEEP está a fazer um uso abusivo de um documento interno daquele tribunal. O director executivo da associação já respondeu e afirma que o Governo está a ver mal as coisas.

O gabinete do ministro Tiago brandão Rodrigues já anunciou mesmo que vai solicitar ao Tribunal de Contas um esclarecimento formal sobre este assunto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mota
    02 jun, 2016 Braga 15:25
    O Governo devia isso sim, romper e fazer letra-morta da Concordata e obrigar todos os "mamões" a pagar os impostos como todos o trabalhadores. Isso sim, era uma medida justa!
  • 01 jun, 2016 16:43
    é triste e lamentável a posição da Igreja Católica - aqui representada por Sua Eminência Reverendíssima, Sr. Cardeal - sobre esta matéria, ao afirmar que "(...) esta e outras iniciativas que, com ordem e civismo, defendam a liberdade dos pais escolherem a escola e os projectos educativos que querem para os seus filhos", pois que se saiba a posição do Ministro da Eduação em nada colide com a liberdade de escolha dos pais, a escolha mantem-se, o pagamento de colégios é que deixa de ser suportada pelo Erário Público, mais concretamente dos impostos que pagamos. A Deus o que é de Deus, a César o que é de César! Como católica sinto-me envergonhada e chocada com a posição assumida pelo Sr. Cardeal. Sem desrespeito pela pessoa e cargo que ocupa, considero que devia ter mais atenção ao que o rodeia no que diz respeito à pobreza e à carência economica e afectiva das crianças, e apoiar incondicionalmente a defesa da vida, pugnado por uma sociedade mais justa e mais preocupada com o próximo! Isabel Caseiro
  • antonieta
    31 mai, 2016 Maputo 05:06
    Os padres deviam drixar a política se concordam que os pais devem meter os filhos onde acharem melhores então que paguem, a igreja e rica sjude as escolas onde as crianças precisam de apoio carinho alimentos isso é que os padres devem cuidar, agora o resto e para o governo resolver, eles estão assim esta se acabar a mama
  • Pedro Lourenço
    30 mai, 2016 Lisboa 18:00
    A Opus Dei tem muito poder, a moral que se lixe primeiro está o dinheiro e a ganância.
  • Bishop
    30 mai, 2016 Lisboa 14:18
    É para terem lá os “meninos”, senão depois quem é que eles comiam, não se vão comer uns aos outros, assim têm sempre carne fresca, cambada de pedófilos……….
  • eduardo pinho
    30 mai, 2016 lisboa 11:57
    Eu nao sei quem tem razao mas porque motivo as escolas publicas nao funcionao com a mesma qualidade de ensino, disciplina e ordem, porque para um pai isto é muito importante, no publico nao existe, e eu nao acredito que os professores, e os auxiliares do privado sejam melhores haverà se calhar è mais interesse no trabalho que fazem nos colègios privados.
  • Jorge Guimarães
    30 mai, 2016 Porto 01:53
    Não façais da casa de meu Pai uma casa de negócio" (João 2:15-16)
  • Mário
    29 mai, 2016 22:54
    Será que Cristo pensaria assim?...
  • lúcia maria ferreira
    29 mai, 2016 Sul 20:37
    Grande ministro Tiago Brandão...o único capaz de fazer algo contra esta corja que esbanja o dinheiro público em proveito de alguns..onde está a misericórdia destes bispos corruptos? Cristo teria estudado na escola pública ao lado dos mais desfavorecidos...hipócritas
  • celestino Manso
    29 mai, 2016 almada 20:29
    Tem razão