Tempo
|
A+ / A-

Obras em Lisboa

Depois da 2ª Circular e do Eixo Central, vêm aí obras na Praça de Espanha?

20 mai, 2016 - 18:42

Autarca anuncia que vai alterar a circulação viária na zona para criar "uma verdadeira centralidade", com espaços verdes e de lazer.

A+ / A-

Veja também:


A Câmara de Lisboa discute na quarta-feira a delimitação da unidade de execução da Praça de Espanha, abrindo portas à requalificação do espaço público e ao reordenamento do trânsito. As medidas só serão concretizadas noutro mandato.

A proposta assinada pelo vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, e à qual a agência Lusa teve acesso, explica que "a delimitação de uma unidade de execução consiste na fixação em planta cadastral dos limites físicos da área a sujeitar a intervenção urbanística, [...] de forma a assegurar um desenvolvimento urbano harmonioso e a garantir a justa repartição de benefícios e encargos pelos proprietários envolvidos, devendo incluir as áreas a afectar a espaços públicos ou equipamentos".

No caso da Praça de Espanha, a delimitação "atende à necessidade de conformação com os objectivos gerais definidos no Plano Director Municipal" e pretende-se uma solução que concilie "a requalificação do espaço público, a circulação viária e ainda a concretização imediata dos direitos de edificabilidade anteriormente assumidos com a Lusitânia e o Montepio".

Em Dezembro passado, o presidente do município, Fernando Medina, anunciou que iria alterar a circulação viária na zona para criar "uma verdadeira centralidade", com espaços verdes e de lazer.

"Dentro em breve, poremos à discussão pública e apresentaremos o que será o novo plano de desenvolvimento da Praça de Espanha, onde se integrarão as várias componentes daquela praça", informou o autarca na ocasião.

Porém, isso não significa que as obras comecem já. No final de Abril, Fernando Medina disse que "a Praça de Espanha não vai ser intervencionada neste mandato", que termina em 2017.

O responsável frisou que o que existe é uma "ideia para desenvolvimento futuro, que ainda não está em fase de projecto", de ali criar uma "nova centralidade".

Segundo o autarca, as "opções de fundo" centram-se na alteração do tráfego, através de ligações directas entre a Avenida de Berna e a Avenida Calouste Gulbenkian e entre a Avenida António Augusto Aguiar e a Avenida dos Combatentes. Esta última passará a ser realizada nos dois sentidos.

A requalificação será possível devido ao fim do mercado da Praça de Espanha, instalado em pavilhões que eram para ali estar por cinco anos, mas que permaneceram por mais de 30.

Acresce que em Julho do ano passado, a Câmara assinou um contrato com o Montepio Geral - Associação Mutualista que prevê a permuta de terrenos na zona da Praça de Espanha pelo valor de 12 milhões de euros, para ali ser construído o edifício sede do Montepio Geral e da Lusitânia Seguros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.