Tempo
|
A+ / A-

“Barrigas de aluguer”. Passos chamado a justificar posição no Parlamento

18 mai, 2016 - 07:38 • Paula Caeiro Varela

Líder do PSD abriu caminho à aprovação do projecto de lei sobre gestação de substituição. Na primeira reunião do conselho nacional depois do Congresso de Espinho, educação e economia foram outros temas em debate entre os militantes sociais-democratas.

A+ / A-

O Conselho Nacional do PSD chumbou, na noite de terça-feira, uma proposta de deliberação para que os diplomas sobre maternidade de substituição e procriação medicamente assistida fossem submetidos à fiscalização do Tribunal Constitucional (TC).

O descontentamento de parte dos militantes traduziu-se na apresentação de uma proposta para que o Presidente da República submetesse o diploma (em conjunto com o que alarga o acesso às técnicas de procriação medicamente assistida) à fiscalização do TC.

O ex-deputado António Pinheiro Torres, membro da Federação Portuguesa pela Vida, questionou Passos Coelho sobre a votação da semana passada. Como a Renascença avançou em primeira mão, o líder do partido foi um dos que deputados que desalinharam da indicação de voto contra da bancada, permitindo a legalização das chamadas “barrigas de aluguer”.

A deliberação que pedia a fiscalização do TC destas matérias, proposta por Paulo Ribeiro da distrital de Setúbal, foi chumbada por larga maioria dos conselheiros, depois de Passos Coelho ter voltado a intervir e a explicar a sua posição.

A mensagem de Passos

Na primeira reunião do conselho nacional depois do Congresso de Espinho, foram aprovadas duas moções do grupo parlamentar sobre educação e economia e, segundo fontes do partido, Passos Coelho quis marcar os seis meses do Governo de António Costa com uma mensagem clara: tal como o PSD avisou, a estratégia do PS não está a resultar.

A conclusão parte dos indicadores económicos. Mas ainda há tempo para corrigir o rumo. O líder do partido avisa que não deve haver pressa, que o PSD está numa corrida de fundo e não anda a correr atrás de foguetes – um recado que parece direitinho ao CDS, até porque Passos Coelho acrescenta que não tem interesse em semear a discórdia nos partidos da maioria nem em precipitar a queda do Governo.

Pelo contrário, acredita o presidente social-democrata, a pressa é inimiga do PSD e é preciso dar tempo para que seja responsabilizado pelos resultados quem está neste momento a governar.

Também o vice-presidente do partido, Jorge Moreira da Silva, defendeu que a estratégia do actual Governo está a provar-se errada e que, se não fosse o facto de o PS estar em campanha, já a teria corrigido.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 18 mai, 2016 12:03
    No que toca a ordenados reformas etc portugal tem andado durante estes anos sempre na cauda da europa! Mas no que toca a modas novas somos muito exigentes! Eu proponho que se alugue a assembleia da republica e se faca um centro comercial
  • 18 mai, 2016 Alverca 09:47
    Líder não é quem quer !
  • tuga
    18 mai, 2016 tugal 08:37
    Algo vai mal no laranjal!...
  • Luis
    18 mai, 2016 Lisboa 08:33
    O Farsola no PSD já é uma carta fora do baralho. Muita gente do PSD que não se identifica com a Caranguejola PaFalhada já se movimenta para correr com o Farsola. Por sua vez muitos PaFalhados que já vêm no Farsola um cavalo em que não vale a pena apostar também já estão a movimentar-se para correr com ele ao mesmo tempo que já vão marcando terreno com vista ao futuro. Uns fazem-no numa forma discreta conspirando na sombra enquanto que outros já o fazem sem qualquer discrição. Surpresa? Não. O PSD sempre foi assim. Nunca conviveu bem com a falta do poder. Há muito que estava previsto. Ou caía O Costa ou caía o Farsola. Costa tem-se aguentado e tudo indica que se vai aguentar pelo que o Farsola mais depressa do que se pensava vai à vida. É a vida, como dizia o outro. Só que vai com muito tempo de atraso. Volte a colar cartazes que é a unica coisa para que serve.
  • 18 mai, 2016 LISBOA 08:16
    O HOMEM COMO EU ESTÁ A VER ALI UMA FORMA DE CRIAR POSTOS DE TRABALHO E ATÉ EXPORTAÇÕES!!!... JÁ TENHO CASAIS REPRODUTORES, PRETOS, RUIVOS, LOIROS E MORENOS, A PESSOA ESCOLHE O BÉBÉ QUE QUER TER!!! POR EXEMPLO SÓ PARA O LOBI GAYS (ENORME) VEJAM A SAÍDA!!! ESTA GENTE NÃO ESTÁ A VER O FUTURO!!!