Tempo
|
A+ / A-

Registadas agressões a motoristas e cliente da Uber no Porto

29 abr, 2016 - 17:00

Relatos dão conta de agressões com pedras, murros e pontapés por taxistas.

A+ / A-
Taxistas em protesto a caminho da Câmara do Porto
Taxistas em protesto a caminho da Câmara do Porto

Veja também:


A PSP do Porto registou esta sexta-feira à tarde dois casos de agressões a condutores ao serviço da Uber, alegadamente cometidas por taxistas.

Uma agressão aconteceu por volta da 14h30, na Praça da Batalha, onde um condutor se queixa de ter sido apedrejado e agredido com socos e pontapés por três homens. O queixoso tem 33 anos, é residente no Porto, e não se identificou como condutor da Uber.

A segunda situação ocorreu uma hora depois, na rua Telheiro de Campanhã, onde uma viatura foi atacada com ovos e com pedras, tendo ficado com o vidro de trás partido. Neste caso, a queixosa, tem 29 anos, é residente em Ermesinde e também não se identificou como sendo colaboradora da Uber.

A PSP do Porto está a investigar os dois casos registados em dia de protesto dos taxistas contra a plataforma Uber. Até ao momento, os alegados agressores ainda não foram identificados.

Em declarações à Renascença, uma testemunha ocular do primeiro caso descreveu o momento em que a viatura ao serviço da Uber foi sido atacada na praça da Batalha.

Ana Calado Pereira foi precisamente a última cliente daquela viatura e foi já no exterior que presenciou as agressões de que diz também ter sido vítima.

“Ia apanhar um autocarro para ir a Bragança. Vim de Uber, como sempre, e à saída do carro há um caminho que se faz a pé para entrar na estação de autocarros. Nesse caminho, assim que eu saio do Uber, amontoam-se alguns taxistas e apedrejam o motorista do Uber e a mim que ia fazer o caminho para a estação. Entrei imediatamente, tentei proteger-me e vi um polícia e falei com o polícia”, contou à Renascença.

O condutor queixou-se aos jornalistas de ter sido apedrejado e agredido com murros e pontapés por três ou quatro taxistas.

Em protesto contra a plataforma Uber, os taxistas estão em greve esta sexta-feira e organizaram marchas lentas de protesto em Lisboa, Porto e Faro.

[notícia actualizada às 20h05]

Centenas de táxis em marcha lenta em Lisboa
Centenas de táxis em marcha lenta em Lisboa
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • lkj
    29 abr, 2016 PT 21:22
    A Uber decerto agradece os argumentos pró-Uber dados por alguns taxistas.
  • 29 abr, 2016 20:45
    Que vergonha! E é desta forma que querem reivindicar os seus direitos? Belo exemplo.
  • cs
    29 abr, 2016 lx 18:04
    Estes taxistas que se dizem profissionais, nada têm de profissionalismo. São autênticos bruta-montes e sem formação, mal vestidos, barba por fazer cabelo desgrenhado, enfim... Enganam os clientes e eu já fui vítima disso mas saiu-se mal com a polícia. Quando tenho de me deslocar em táxi da minha zona de residência para o aeroporto e vice versa tenho um taxista ( este sim profissional do ramo) sempre bem vestido e arranjado, educado, fala línguas, e com a carteira profissional sempre á vista, e com a particularidade que emite factura mesmo antes de eu a solicitar. Muitos dos taxistas até tapam o taxímetro com o pano de limpeza, e dizem que é para não queimar o led do visor, que ignorantes que eles são, então nas corridas á noite nem se fala. Enfim, se querem trabalhar como deve ser façam o mesmo que a Uber.

Destaques V+