|
A+ / A-

Desbloqueados 15 milhões para centros de saúde

20 abr, 2016 - 21:33

Associação de Medicina Geral e Familiar aplaude a medida, mas pede urgência na abertura do concurso para novos médicos de família.

A+ / A-

O Governo vai investir 15 milhões de euros na construção de novos e remodelação de centros de saúde. O projecto abrange os distritos de Lisboa, Leiria, Setúbal e Santarém.

Sintra recebe o maior investimento, cerca de 3,7 milhões de euros. O despacho foi publicado esta quarta-feira, em Diário da República e cabe agora aos municípios lançar os concursos das obras.

Em declarações à Renascença, Rui Nogueira, da Associação de Medicina Geral e Familiar, diz que se trata de uma boa notícia. Vem responder às necessidades de distritos “muito carenciados em instalações e em disponibilidade de médicos e outros profissionais”.

“Há médicos de família sem doentes”

Rui Nogueira sublinha que há neste momento um outro problema a ser resolvido. O responsável pela Associação de Medicina Geral e Familiar pede urgência na abertura do concurso para novos médicos de família.

O apelo é feito numa altura em há mais de 300 clínicos, que terminam agora a sua formação, e que estão à espera de colocação.

“São mais de 300 médicos de família que estão disponíveis para atender doentes e não é razoável termos doentes sem médicos de família e médicos de família sem doentes. É muito importante aproveitar o investimento de quatro anos na formação destes médicos. Era muito importante que o Sr. Ministro conseguisse desbloquear os concursos”, apela Rui Nogueira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pinto
    14 jun, 2016 Custoias 15:12
    Os 15 milhões irão-se diluir sem que dêem fé. Os dinheiros nunca servem os objectivos, ficam pelo caminho, é assim e continuará a ser, no tempo do Passos prometeram abrir centros de saúde e o dinheiro desapareceu, foi encaminhado para outros fins.