|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​BPI desmente Isabel dos Santos

19 abr, 2016 - 21:36

Em comunicado enviado à CMVM, o banco “não reconhece a versão dos factos apresentada”. Em causa está o falhanço das negociações com o CaixaBank.

A+ / A-

O BPI desmente a versão da empresária Isabel dos Santos para o insucesso da negociações com os catalães do CaixaBank.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), começa por dizer que “ não reconhece a versão dos factos apresentada”.

Desde logo a instituição liderada por Fernando Ulrich rejeita a tese da Santoro, "holding" controlada por Isabel dos Santos, segundo a qual o acordo com CaixaBank “nunca foi finalizado”.

O BPI reafirma, no comunicado divulgado esta terça-feira, “que lhe foi comunicado pela Santoro Finance e pelo CaixaBank, em 10 de Abril, que “ se encerraram com sucesso”, naquele dia, as negociações que envolveram aquelas entidades com o objectivo de ‘encontrar uma solução para a situação de incumprimento pelo Banco BPI do limite dos grandes riscos’”.

O banco volta a acusar a holding de Isabel dos Santos de “desrespeitar o que tinha acordado, relativamente a obrigações que apenas diziam respeito à própria Santoro”.

A instituição liderada por Fernando Ulrich também nega que uma reunião com o Banco Nacional de Angola (BNA) não se tenha realizado por ”alegada indisponibilidade dos representantes do BPI”, como refere a Santoro.

“Tal reunião nunca foi solicitada pelo BNA e nunca esteve, portanto, agendada. O Banco declara, a este propósito, que sempre esteve e estará disponível para responder às solicitações do BNA, instituição com a qual sempre manteve e continua a manter um relacionamento de plena colaboração", refere o BPI.

Por fim, o BPI "regista a intenção da Santoro no sentido de 'conduzir este processo de forma a responder aos interesses de todas as partes envolvidas, respeitando sempre os princípios da idoneidade e transparência'".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.