A+ / A-

​Portugal toma “boa nota” do recurso da condenação dos 17 activistas angolanos

28 mar, 2016 - 19:48

Ministério dos Negócios Estrangeiros espera que os princípios fundadores do Estado de Direito sejam respeitados pelas autoridades de Luanda.
A+ / A-

O Governo português toma “boa nota” da intenção da defesa dos 17 activistas angolanos de apresentar recurso.

“Tomamos boa nota da comunicação, pela defesa, da intenção de interpor recurso judicial em face da gravidade e dimensão das penas hoje decididas pelo tribunal de primeira instância”, diz o Ministério português dos Negócios Estrangeiros, em resposta por escrito enviada à Renascença.

O gabinete do ministro Augusto Santos Silva espera que os princípios fundadores do Estado de Direito sejam respeitados pelas autoridades de Luanda.

“Confiamos que a tramitação do processo, nos termos previstos na legislação angolana, obedeça aos princípios fundadores do Estado de Direito, incluindo o direito de oposição por meios pacíficos às autoridades constituídas”, refere o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O Governo português sublinha que tem vindo a acompanhar o processo através dos “canais diplomáticos adequados” e que, entre os condenados, está uma pessoa com nacionalidade portuguesa, o activista Luaty Beirão.

O Tribunal de Luanda condenou esta segunda-feira a penas entre dois anos e três meses e oito anos e seis meses de prisão efectiva os 17 activistas angolanos julgados por co-autoria de actos preparatórios para uma rebelião. Foram igualmente condenados por associação criminosa.

No caso do 'rapper' luso-angolano Luaty Beirão, que chegou a fazer greve de fome contra este processo, a pena, em cúmulo jurídico também por falsificação de documentos, foi de cinco anos e seis meses de cadeia.

Domingos da Cruz, outro activista, cumprirá oito anos e seis meses de pena.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    31 mar, 2016 11:47
    Obviamente, em Portugal vigora um regime comunista e por isso as amizades têm que se manter mesmo com o regim ditaturial angolano. É de salientar o silêncio da Sra Catarina e do Sr Jerónimo... obviamente!
  • Luis Andrade Jesus
    30 mar, 2016 Marinha Grande 16:17
    "BOA NOTA" QUER DIZER QUE CONCORDA? -- ENTÃO E A POSIÇÃO FIRME QUE FOI EXIGIDA AO ENTÃO PRIMEIRO MINISTRO PASSO COELHO FICOU NA GAVETA?