|
A+ / A-

D. Jorge Ortiga pede que se reze pela humanidade

26 mar, 2016 - 23:21

Arcebispo Primaz presidiu à vigília pascal na Sé de Braga.

A+ / A-

Numa altura em que a sociedade vive marcada por acontecimentos como o terrorismo e o fundamentalismo, o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, pede que se reze pela humanidade.

“Sempre que um cristão se recorda da Humanidade, a integra na sua oração e a eleva a Deus, está, efectivamente, a cumprir um gesto proactivo. A ausência da memória e da oração revela, isso sim, um desinteresse pelo bem comum. A título de exemplo, após os atentados da passada terça-feira, a frase mais partilhada nas redes sociais foi Pray for the world [Oração pelo mundo], um indicativo do quanto a oração pode ser o motor que reconcilia a Humanidade e cura as feridas da violência insensata”, disse.

O apelo à oração foi deixado pelo Arcebispo de Braga em noite de vigília pascal, na Sé.

D. Jorge Ortiga aproveitou ainda para deixar uma palavra de agradecimento ao papel dos movimentos e congregações religiosas na Igreja.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Malaquias
    27 mar, 2016 Mesopotanea 12:44
    Palavra de agradecimento aos movimentos e congregações religiosas? Fazem falta ?Mas em algumas paróquias da Arquidiocese é proibido constituir confrarias! Porque será que alguns padres mandam mais que alguns Arcebispos? Vamos rezar ao Deus todo poderoso para que limpe a anestesia que o demónio injectou no corpo deste senhor Arcebispo. Uma santa páscoa. Uma Santa mudança, uma Santa libertação.