RR
|
A+ / A-

Assunção Cristas enfrenta oposição no CDS

12 mar, 2016 - 23:12 • Paula Caeiro Varela

Filipe Lobo d`Ávila apresentou uma lista alternativa aos órgãos nacionais do partido, no congresso que termina este domingo, em Gondomar.

A+ / A-

A Renascença sabe que Filipe Lobo d`Ávila, dirigente nacional do CDS, vai apresentar uma lista alternativa à de Assunção Cristas aos órgãos nacionais do partido.

Este avanço de Lobo d’Ávila mostra que não há, de facto, unanimismo em torno da candidatura única à liderança do CDS.

Recorde-se que Filipe Lobo d`Avila manifestou desde a primeira hora - desde o anúncio de que Paulo Portas sairia - o seu apoio a uma candidatura de Nuno Melo - que não chegou a concretizar-se, mas foi publicamente assumida essa vontade, essa manifestação de apoio a Nuno Melo.

Filipe Lobo d’Avila é membro da ainda comissão política nacional. Foi escolhido por Paulo Portas para porta-voz do partido e foi também secretário de Estado da Administração Interna.

E com esta lista alternativa ao Conselho Nacional, Lobo d’Avila mostra que há mais pessoas a pensarem como ele - que haveria outra solução que não Assunção Cristas para liderar o CDS depois de Paulo Portas.

São necessários pelo menos 70 nomes de militantes para apresentação de uma lista ao Conselho Nacional, sem contar com os suplentes.

O XXVI congresso do CDS decorre em Gondomar.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • A palidez
    13 mar, 2016 pt 12:19
    de alguns rosas, que revelam bem a democracia que "professam". A democracia das ditaduras travestidas...
  • Rosa Pálida
    13 mar, 2016 Olhos d'Água 09:53
    O erro fatal do CDS é não ir coligado com o PSD às próximas eleições legislativas! Está ao alcance dos portugueses conseguir uma expressão eleitoral que permita uma actualização da Constituição da República. Sem isso Portugal continua adiado, atrasado, nas mãos dos comunistas.