Tempo
|
A+ / A-

CGTP. Mais de 100 mil novos sindicalizados nos últimos quatro anos

26 fev, 2016 - 12:48

Congresso da CGTP inaugurado com o anúncio de uma campanha nacional de combate à “praga” da precariedade.

A+ / A-

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, anunciou esta sexta-feira o lançamento de uma campanha de sindicalização de 110 mil trabalhadores para o próximo quadriénio, depois de revelar que a meta das 100 mil sindicalizações fixada no último congresso foi ultrapassada em mais de quatro mil trabalhadores. O número de saídas da CGTP não foi revelado.

O objectivo faz parte da nova campanha nacional da CGTP para concretizar, nos próximos quatro anos, a luta contra a precariedade laboral. "A precariedade é uma praga que importa combater com todas as nossas forças. Por isso, vamos lançar uma campanha nacional contra a precariedade pelo trabalho com direitos", anunciou Arménio Carlos, no final da sua intervenção de abertura do 13.º congresso da central sindical.

O sindicalista explicou que esta é uma campanha para quatro anos, para construir na base, fazendo o levantamento das situações existentes de forma a tornar-se numa campanha de alerta para a população.

"Numa altura em que cerca de um milhão de trabalhadores se encontram numa situação de precariedade, em que se generalizam as práticas que convertem o trabalho precário num flagelo do mundo laboral, é preciso que este grande colectivo responda, mais uma vez, a um problema que afecta os trabalhadores", assinalou Arménio Carlos.

Na sua intervenção, Arménio Carlos reafirmou as reivindicações da central sindical no sentido da valorização do trabalho e das condições de vida dos portugueses e reconheceu que o Orçamento do Estado para 2016 (OE2016) inverte o rumo de cortes sucessivos nos salários e nas pensões, embora fique aquém do desejável.

"É inequívoco que com o actual Governo, na presente correlação de forças na Assembleia da República, há mais espaço para a negociação", frisou o líder da CGTP, numa intervenção que durou mais de meia hora.

Na sessão de abertura do congresso da CGTP estiveram presentes uma delegação da UGT, delegações dos grupos parlamentares do PCP, Bloco de Esquerda, PS e Verdes, de várias comissões parlamentares, comissões de utentes, associações, o ex-secretário-geral da CGTP Carvalho da Silva, entre outros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    26 fev, 2016 ? 17:34
    "Mais de 100 mil novos sindicalizados nos últimos quatro anos" Que bom, alguém está mais RICO!
  • Teresa Almeida
    26 fev, 2016 Porto 15:15
    E quantos saíram?
  • João Moreira
    26 fev, 2016 Lisboa 14:33
    Está visto! A CGTP só cresce qunado a malta da direita está no poleiro. Por este andar, quer-me cá parecer que qualquer dia temos o Arménio Carlos a pedir esmola à porta de Santo Estevão. Ó homem, faça campanha a favor da direita se é que quer continuar a ter o salariozito, as viagenzitas mais os almoçitos à pala dos trabalhadores. Ou isso, ou qualqter vai ter mesmo que vergar a mola e voltar à fábrica,. E, como diz o povo, à boa vida a gente acostuma-se depressa; as dificuldades custam mais a entrar. Pense nisso, homem, pense nisso e vote na direita.

Destaques V+