|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Resultados finais. Marcelo Presidente com 52% e 2,4 milhões de votos

25 jan, 2016 - 00:01

Marcelo Rebelo de Sousa eleito chefe de Estado à primeira volta com uma taxa de abstenção 51,16%.

A+ / A-

Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito Presidente da República nas eleições deste domingo, com 52% e 2,403 milhões de votos.

Com a contagem praticamente fechada - estão contados 99,56% dos votos - o candidato presidencial apoiado por PSD e CDS ganha a corrida a Belém à primeira volta.

O segundo lugar vai para o candidato independente Sampaio da Nóvoa. O antigo reitor regista 22,8% e conquista 1,060 milhões de votos.

Marisa Matias, que contou com o apoio do Bloco de Esquerda, fecha o pódio com 10,13% e 468 mil votos.

Na quarta posição ficou Maria de Belém. A antiga presidente do PS não foi além dos 4,24% e 196 mil votos.

A fechar o “top cinco” Edgar Silva, que conseguiu 3,95% e quase 183 mil votos. Foi o pior resultado de sempre de um candidato presidencial apoiado pelo PCP.

Uma das grandes surpresas destas eleições é Vitorino Silva, mais conhecido por Tino de Rans. O antigo calceteiro e militante do PS ficou no sexto lugar com 3,28% e 152 mil votos.

Seguem-se Paulo Morais e Henrique Neto, com 2,15% e 0,84%, respectivamente.

Na lista de dez candidatos que entraram na corrida, Jorge Sequeira ficou no penúltimo lugar, com 0,3%, e Cândido Ferreira foi último, com 0,23%.

Mais de metade não votou. Marcelo venceu em todo o país

Votaram um total de 4.737.273 de eleitores. A abstenção nas eleições presidenciais deste domingo foi de 51,16%, inferior ao que aconteceu em 2011 na reeleição de Cavaco Silva, onde a taxa de abstenção situou-se nos 53,39%.

A mais alta taxa de abstenção em eleições presidenciais foi registada na reeleição de Cavaco Silva, em 23 de Janeiro de 2011, com 53,56% dos eleitores a optarem por não ir às urnas.

De acordo com os dados oficiais, 58.663 eleitores votaram em branco (1,24%). Foram ainda registados 43.757 votos nulos (0,92%).

O vencedor das eleições deste domingo não conseguiu a maioria absoluta no distrito de Lisboa, mas ficou muito perto. Na soma dos vários concelhos da capital, conseguiu 49,77%, abaixo da votação nacional.

No distrito do Porto ganhou com 51,28% e em Faro registou 47,62% dos votos.

Marcelo venceu nos 18 distritos de Portugal Continental e nos Açores e na Madeira, sendo Viseu o distrito onde conquistou maior percentagem de votos, 62,57%, e Beja aquele em que registou o resultado mais baixo, 31,71%.

Quanto ao voto dos emigrantes, Marcelo Rebelo de Sousa ganhou nas quatro regiões. Teve resultados esmagadores em África (78,3%) e na América (69,9%), mas na Europa e na Ásia teria de ir a uma segunda volta, com 43,4% e 46,5%, respectivamente.

Na sua terra natal, em Celorico de Basco, no distrito de Braga, Marcelo ganhou com 81,9% dos votos.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Nadia Silva
    25 jan, 2016 Lisboa 10:50
    A ABSTENÇÃO não é de estranhar.Para quem votou nas últimas eleições legislativas e viu a sua vontade ao votar transformado numa miragem por habilidades saloias, fez como eu não votou.Então ia votar num candidato e depois por habilidades saloias dando volta ao caso e ir para lá outro,NÃO.É certo que nestas eleições tudo é diferente.Mas não votei por protesto no que aconteceu nas eleições para este governo(que não votei nele( e agora tenho que aguentar.Por isso o descrédito no voto.Vejam em S. João da Madeira a coligação PSD-CDS ganhou e a prova está aqui. Este governo é um governo que o POVO não elegeu.É um governo do BLOCO e do PCP- CGTP INTERSINDICAL. Ontem nenhum comentador tocou neste caso.É surríal
  • rosinda
    25 jan, 2016 palmela 02:27
    menina acha que cha de limao faz espertina?
  • rosinda
    25 jan, 2016 palmela 02:09
    o menina eu vou ter que ir dormir!Nao sei se vou esperar ate ao jorge palma.