|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Como o mundo vê a vitória de Marcelo

25 jan, 2016 - 00:31

Marcelo Rebelo de Sousa venceu à primeira volta com 52% dos votos.

A+ / A-

A escolha de Marcelo Rebelo de Sousa para Presidente da República é notícia em vários jornais europeus e nos Estados Unidos, que destacam a eleição à primeira volta.

A edição online do espanhol “El Mundo” dá conta da vitória de Marcelo Rebelo de Sousa, a quem intitula de "Professor Marcelo, o português que nunca dorme".

"Marcelo Rebelo de Sousa venceu as eleições presidenciais de Portugal com 52% dos votos. O social-democrata partiu como favorito e a grande dúvida ao longo desta jornada eleitoral foi saber se conseguiria ser eleito à primeira volta", lê-se na edição online deste jornal.

O “El Pais” intitula "Rebelo de Sousa, presidente de Portugal". "O professor-comunicador obteve 52% dos votos, com os quais não necessita de uma segunda volta".

Na edição online deste jornal espanhol lê-se que "Marcelo Rebelo de Sousa é o novo presidente de Portugal ao obter 52% dos votos (...)".

O jornal escreve ainda que o segundo candidato mais votado foi Sampaio da Nóvoa (22,89%) e em terceiro lugar Marisa Matias (10,13%), "candidata do Bloco, e a grande surpresa dos resultados, uma vez que duplica a votação do candidato comunista Edgar Silva, que ficou em quinto lugar [3,95%]. A abstenção ficou" nos 51,16%.

A edição online do francês “Le Monde” escreve: "O conservador Marcelo Rebelo de Sousa eleito Presidente à primeira volta". "O professor de direito de 67 anos, popular ao nível político e enquanto comentador-vedeta da televisão, foi o grande favorito deste escrutínio", vencendo "o independente de esquerda António Sampaio da Nóvoa (...) e a socialista e antiga ministra da Saúde Maria de Belém Roseira. A única dúvida era se conseguia ser eleito à primeira volta", escreve o “Le Monde”.

A BBC escreve, no seu site, que "Sousa venceu as eleições presidenciais em Portugal". "O político veterano de centro-direita e comentador televisivo Marcelo Rebelo de Sousa venceu as eleições presidenciais em Portugal" (...) com 52% dos votos", escreve a edição online da BBC, acrescentando que "o cargo de presidente é principalmente cerimonial, mas o chefe de Estado pode dissolver o parlamento. Uma coligação instável de esquerda governa actualmente Portugal".

O britânico “The Guardian” refere que o presidente eleito é um conhecido analista político na televisão, enquanto o “The Independent” titula que "Marcelo Rebelo de Sousa vence com vitória retumbante”.

Na Alemanha, o “Der Spiegel” sublinha que o novo presidente português é social-democrata. O britânico “The Guardian” refere que o presidente eleito é um conhecido analista político na televisão, enquanto o “The Independent” titula que "Marcelo Rebelo de Sousa vence com vitória retumbante”.

A edição online da Euronews destaca a eleição de Marcelo Rebelo de Sousa "à primeira volta". "O candidato de centro-direita [Marcelo Rebelo de Sousa] venceu a eleição presidencial à primeira volta". O jornal refere ainda que os 52% de votos obtidos fizeram com que o candidato não necessitasse de ir a uma segunda volta.

Do outro lado do Atlântico, a brasileira “Folha de São Paulo” titula que o “novo presidente português terá que evitar crises em Lisboa e Bruxelas”.

Já o “The New York Times escreve que os eleitores portugueses elegeram "o veterano político de centro-direita e comentador de televisão como o seu novo Presidente, no domingo, dois meses depois de os socialistas terem tomado posse após eleições parlamentares inconclusivas".

Esta eleição também é notícia no “Washington Post”, em cuja edição electrónica se lê que o candidato de centro-direita obteve uma expressiva vitória nas eleições presidenciais em Portugal, obtendo mais de metade dos votos, contra os nove rivais.

"Com 98% dos votos contados, Marcelo Rebelo de Sousa, um político veterano e professor de direito, obteve 52,4% [resultado final foi de 52%] dos votos, que lhe vai permitir exercer um cargo essencialmente cerimonial", escreve o jornal.

[Notícia actualizada às 12h00 de segunda-feira]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.