A+ / A-

Portas não pode "virar costas e ir-se embora", diz Ribeiro e Castro

29 dez, 2015 - 00:22

Antigo líder do CDS está contra a decisão de Paulo Portas de não se recandidatar à presidência do partido.
A+ / A-

Paulo Portas tem a "responsabilidade" e "obrigação" de conduzir o CDS no ciclo político que já se iniciou e que "não pode virar costas e ir-se embora", defende o ex-presidente do partido Ribeiro e Castro.

O presidente do CDS-PP, Paulo Portas, comunicou esta segunda-feira à Comissão Política Nacional centrista que não se recandidatará à liderança do partido.

"Considero mal, não apoio a forma como o partido está a ser conduzido, mas creio que o presidente do partido tem a responsabilidade, a obrigação de conduzir o partido no ciclo político que já se iniciou, não pode virar costas e ir-se embora", afirmou à agência Lusa José Ribeiro e Castro.

Segundo o antigo deputado, o congresso já devia ter sido realizado no primeiro trimestre de 2015, a "tempo de se reflectir e tomar decisões que se projectariam no ciclo político" que está agora a ter início.

"Não faz sentido nenhum, que o presidente do partido que forçou o adiamento do congresso para depois de se iniciar o ciclo político, o qual já está em velocidade de cruzeiro, vá-se embora", salientou.

José Ribeiro e Castro disse respeitar a decisão de Paulo Portas de sair da liderança, mas considerou que o deveria fazer em outra altura.

"Há aliás uma pergunta que importa fazer e cabe ser respondida: É se Paulo Portas também abandonaria a liderança do partido caso se tivesse formado e tivesse passado no parlamento o Governo minoritário da coligação PSD/CSD?", questionou Ribeiro e Castro.

Paulo Portas é o líder partidário há mais tempo em funções. A liderança de Paulo Portas no CDS-PP começou em 1998 no Congresso de Braga. Desde então, só esteve dois anos fora da direcção centrista, o período entre 2005 e 2007, na presidência de José Ribeiro e Castro.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • rosinda
    30 dez, 2015 palmela 18:31
    Meter nuno melo na lideranca do cds deve ser mais facil do que retirar portugal da nato!!
  • Vasco
    29 dez, 2015 Santarém 22:44
    Pelos vistos Paulo Portas provocou nervosismo em muita gente talvez mais ainda pela competência de tocar nas verdadeiras feridas da esquerda, entende dar lugar agora aos mais novos e acho que fará bem pois não concretizou matrimónio certamente com o partido, parece haver no partido nova gente capaz de o liderar e não me parece que Ribeiro e Castro esteja à altura para isso.
  • Filipe
    29 dez, 2015 Queluz 13:26
    Vai tirar um curso na Sobornne,como o Socas,ou então vai fugir para o Brasil de submarino,preparem-se para as novidades.
  • Carlos Reis
    29 dez, 2015 Coimbra 12:37
    Não se preocupem que ele mais dia menos dia está de volta, homem de palavra como ele é, ou já se esqueceram do IRREVOGÁVEL..
  • Antonio
    29 dez, 2015 Amadora 12:34
    Não há problema. Com o PP tudo á "irrevogável" Como é possível um partido, um país, permitirem que um espécime humano se mantenha na politica (vs Negócios) tanto tempo, como como o PP?
  • M.M.
    29 dez, 2015 P.V. 12:32
    Paulo Portas, teve medo das próximas eleições com ele no comando, os " ratos " abandonam o barco, é sempre assim, não abandonaria se a coligação continuasse.
  • Joao
    29 dez, 2015 Porto 12:04
    ... se Paulo Portas ficasse seria criticado na mesma. Diz algo de proveitoso ou então CALA-te.
  • Carapaufrito
    29 dez, 2015 Aveiro 11:29
    Como diz o colega José, (Agora vai para outras paragens, mais seguras.) nao và o diabo tecelas e os submarinos virem a tona da àgua. mais vale estar longe que perto, senao ainda pode parar num hotel para politicos em Evora.
  • José
    29 dez, 2015 Portimão 09:58
    Senhor Ribeiro e Castro, tanto que pode, que já saiu. Foi bom enquanto se governou à grande e à francesa. Agora vai para outras paragens, mais seguras.