Tempo
|
Três por Todos - Assista ao direto Três por Todos - Participe nos leilões
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

Morreu o “Patriarca do regime” da Igreja Ortodoxa da Eritreia

24 dez, 2015 - 09:28

Abune Dioskoros foi nomeado pelo regime de Asmara depois de o seu sucessor Antonios ter sido detido em prisão domiciliária.

A+ / A-

Morreu esta semana o patriarca oficial da Igreja Ortodoxa da Eritreia. Abune Dioskoros tinha 80 anos e estava doente há vários meses, informou o Governo de Asmara, e será sepultado no sábado, 26 de Dezembro.

Segundo o Estado, Dioskoros era o quinto patriarca daquela Igreja, que se autonomizou da Igreja Ortodoxa Etíope depois da independência da Eritreia. Contudo, a sua eleição em 2007 só foi possível porque o Governo depôs o seu antecessor Antonios e colocou-o em prisão domiciliária, depois deste se ter queixado da intervenção do Estado em assuntos da Igreja.

Antonios está em prisão domiciliária há oito anos e nada se sabe em concreto do seu estado de saúde. Apesar da vontade do Estado, a maior parte das igrejas que têm relações com a Igreja Ortodoxa da Eritreia, incluindo a Igreja Católica, continuam a reconhecer Antonios como patriarca legítimo. A maior parte das comunidades eritreias da diáspora também não reconheciam Dioskoros.

A Igreja Ortodoxa da Eritreia faz parte da Comunhão de Igrejas Ortodoxas Orientais que se separaram da Igreja Universal no século V, não tendo reconhecido a validade do Concílio de Calcedónia. Desta comunhão fazem parte a Igreja Ortodoxa da Etiópia, a Igreja Copta, a Igreja Apostólica da Arménia e a Igreja Malankara, da Índia.

Vários líderes cristãos lamentaram publicamente a morte de Dioskoros, ressalvando que esta seria uma boa oportunidade para o Governo libertar Antonios e tentar sanar as divisões criadas pela intervenção do Governo em 2007.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Abraão
    25 dez, 2015 Mesopotanea 14:48
    A igreja católica portuguesa também é controlada pelos partidos da esquerda, designadamente, o PS. Não falta muito para ela impor nomeações. Um santo Natal. Escutai e interpretai o que o menino mandou escrever.

Destaques V+