Tempo
|
A+ / A-

Paris. Quatro feridos portugueses tiveram alta

15 nov, 2015 - 12:15

Chegou-se a pensar que havia um quinto português, ainda internado, mas já foi confirmado que se trata de um cidadão venezuelano, de ascendência portuguesa.

A+ / A-

O secretário de Estado das Comunidades revelou este domingo que quatro portugueses feridos nos atentados de sexta-feira em Paris "já tiveram alta" e um outro "permanece internado", mas que o seu estado de saúde "não é grave".

Sábado, José Cesário confirmou à agência Lusa a morte de dois portugueses, um homem, de 63 anos, vítima do atentado ocorrido junto ao Estádio de França, e uma mulher, luso-descendente, nascida em França em 1980, que estava na sala de concertos Bataclan, alvo do atentado mais mortífero na noite de sexta-feira na capital francesa.

Chegou-se a pensar que havia um quinto português, ainda internado, mas já foi confirmado que se trata de um cidadão venezuelano, de ascendência portuguesa.

O grupo extremista auto-denominado Estado Islâmico reivindicou, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 129 mortos e 352 feridos, dos quais 99 em estado grave.

Morreram os sete terroristas suicidas que usaram cintos com explosivos para levar a cabo os atentados, confirmaram fontes policiais francesas. Chegou a falar-se num oitavo suspeito que teria sido abatido pela polícia, mas o procurador de Paris negou essas informações.

Os ataques ocorreram em pelo menos seis locais diferentes da cidade, entre eles uma sala de espectáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as selecções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.