Tempo
|
A+ / A-

França. Polícia interroga pai e irmão de terrorista identificado

14 nov, 2015 - 23:00

O suspeito tinha cadastro e estava referenciado há vários anos, mas nunca esteve conotado com qualquer organização terrorista. Procurador refere três equipas coordenadas de terroristas responsáveis pelos atentados.

A+ / A-

A polícia francesa colocou sob custódia o pai e o irmão de um dos terroristas que participou no ataque à sala de espectáculos Bataclan.

De acordo com informações avançadas pela imprensa francesa, os dois homens foram ouvidos pelas autoridades. A casa em que vive a família em Essone, nos arredores de Paris, foi alvo de buscas.

São os familiares mais próximos daquele que é o único terrorista que o procurador de Paris afirmou estar totalmente identificado. É um homem com 30 anos, francês, bem conhecido das autoridades, mas que nunca esteve conotado com grupos terroristas.

“Foi oficialmente identificado um dos autores do sequestro de reféns no Bataclan. Trata-se de um homem que nasceu a 21 de Novembro de 1985 em Caucorrounne, conhecido da Justiça por delitos menores, que já foi condenado oito vezes entre 2004 e 2010, mas que nunca chegou a cumprir pena de prisão. Está referenciado desde 2010 por se ter radicalizado, mas que nunca esteve conotado com qualquer organização terrorista”, referiu o procurador de Paris, François Molins.

"Com quase toda a certeza, foram três equipas coordenadas de terroristas os responsáveis por esta barbárie", acrescentou Molins, em conferência de imprensa.

O procurador de Paris actualizou o número oficial de mortos: 129. Foram também contabilizados 352 feridos, 99 dos quais em estado grave.

[Notícia actualizada às 8h36]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • HORACIO
    15 nov, 2015 lisboa 16:39
    Estes assasinos (uma palavra arabe) chegaram a europa como immigrantes .alguns aida criancas outros nasceram aqui fihos de muculmanos que para ca vieram. os numeros eram pequenos mas o estrago grande. Agora com milhoes a entrar por as nao existentes fronteiras da europa o estrago no futuro sera bem maior..a qualidade de vida do europeu vai mudar muito.vai ter medo de sair a rua nas suas proprias cidades,vai subsidiar esta gente toda atravez de impostos mais altos.vamos ver bairros onde o crime e a falta de lei reina. e pior esta gente vai um dia poder votar e impor a suas leis.
  • Pesar
    14 nov, 2015 Lisboa 23:44
    Até admito que entre os refugiados que chegam à Europa se encontrem, disfarçados, alguns fundamentalistas. Mas os mais perigosos estão já entre nós e são Europeus. França é disso o exemplo mais tristemente paradigmático. No caso do atentado ao Charlie Hebdo assim era também. Franceses com vidas desestruturadas, transformados em máquinas assassinas movidas pelo fanatismo. E resta saber, ao certo ao certo, o que é o E.I.. Eu continuo a perguntar quem o armou.