Tempo
|
A+ / A-

Atentados de Paris. Aumenta número de mortos

15 nov, 2015 - 18:56

Três dos feridos não resistiram aos ferimentos.

A+ / A-

Sobe para 132 o número de vítimas mortais do múltiplo atentado em Paris na passada sexta-feira.

A informação é da Frence Presse, citando um comunicado dos hospitais, que acrescenta que três dos feridos não resistiram aos ferimentos.

Num comunicado, os hospitais referem que dos 80 feridos em estado grave admitidos na sexta-feira, após os ataques, três morreram e 42 continuavam em vigilância intensiva em unidades de reanimação.

No total, segundo o texto, os hospitais de Paris atenderam 415 pessoas, número que inclui pessoas em estado de choque que procuraram espontaneamente os hospitais.

O número de mortes não é precisado no texto, mas o último balanço oficial era de 129 mortos e 352 feridos, 99 dos quais em estado grave.

Os ataques, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, foram levados a cabo por pelo menos sete terroristas e visaram um estádio de futebol, uma sala de concertos e quatro cafés e restaurantes do centro de Paris.

Estado de emergência para manter

O Presidente François Hollande quer que o estado de emergência se mantenha pelo menos durante mais três meses.

De acordo com fontes parlamentares ouvidas pela agência noticiosa France Presse, François Hollande terá comunicado esta intenção ao Parlamento.

"Ele disse-nos que quer o estado de emergência durante três meses, no mínimo", disse uma das fontes.

Em França, o prolongamento do estado de emergência para mais de 12 dias exige uma lei que tem de ser votada no parlamento, fixando a duração definitiva da medida.

O Procurador de Paris confirma que, pelo menos, três dos terroristas são franceses (dois deles residentes na Bélgica).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.