A+ / A-

OMS. Comer carne processada pode provocar cancro

26 out, 2015 - 11:39

A investigação detectou ainda a existência de propriedades cancerígenas em carnes vermelhas.
A+ / A-

Um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) revela que comer carne processada, como salsichas, fiambre ou bacon, pode causar cancro do cólon.

O mesmo documento adianta que as carnes vermelhas são "provavelmente carcinogénicas", potenciadoras de cancro, embora a evidência científica quanto a esse facto ainda seja limitada.

“O risco de desenvolver cancro do cólon rectal devido ao consumo de carne processada é reduzido, mas aumenta consoante a quantidade de carne consumida por cada indivíduo”, explica Kurt Straif, director da Agência Internacional de Investigação do Cancro, sediada em França, que integra a OMS.

Segundo a agência Reuters, os investigadores colocaram a carne processada na “lista negra” dos produtos ou substâncias para os quais existem “provas suficientes” que os ligam ao aparecimento do cancro. Esta listagem incluiu tabaco, amianto e gases provenientes de motores diesel.

Este relatório revela que 50 gramas de carne processada por dia - menos de duas fatias de bacon - é o suficiente para aumentar o risco cancro colón rectal em 18%.

Quanto às carnes vermelhas, incluindo carnes bovinas, suínas e borrego, o investigador referem que as evidências são, por enquanto, mais limitadas. Mas o grupo de cientistas encontrou ligações entre o consumo deste tipo de alimentícios e o cancro intestinal, pancreático e da próstata.

O documento foi elaborado por um grupo de trabalho composto por 22 especialistas de 10 países, que foram convocados para o Programa de Monografias da agência, com sede na cidade francesa de Lyon.

A carne processada está relacionada com produtos "que foram transformados através de um processo de salga, fumeiro, fermentação ou outros processos para melhorar o sabor ou conservação". Nesta categoria estão incluídos, entre outros, produtos como salsichas, presunto, carne enlatada, bacon e preparados ou molhos à base de carne.

Nutricionistas satisfeitos com classificação da OMS

A bastonária da Ordem dos Nutricionistas congratulou-se com o facto da Organização Mundial da Saúde classificar os alimentos processados como cancerígenos, e a carne vermelha como potencialmente cancerígena, considerando ser uma oportunidade para aumentar o consumo de hortofrutícolas.

"Para os profissionais de saúde, o facto não é novidade. Há estudos que associam estes alimentos ao cancro, assim como identificam os hortofrutícolas como potenciais diminuidores do risco de doença oncológica", disse Alexandra Bento à agência Lusa.

A especialista reconhece que "não é fácil mudar hábitos alimentares de um dia para o outro", mas afirmou ser esta uma oportunidade para recuperar o consumo da dieta mediterrânica, que foi abandonada nos últimos tempos.

"Se sabemos que há uma relação entre os hábitos alimentares e a saúde e que os erros alimentares podem levar a doenças, nomeadamente ao cancro, então devemos pensar nos alimentos que devem ser a base da nossa alimentação", afirmou, numa referência aos hortofrutícolas.

Em relação às carnes vermelhas, a nutricionista diz que esta apenas deve ser consumida esporadicamente. "Em alimentação não devemos diabolizar alimentos, mas devemos consumi-los com peso e medida", adiantou.

Alexandra Bento reconhece que "as fileiras vão posicionar-se", numa referência aos produtores destes produtos.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ana Gomes
    26 out, 2015 Porto 12:33
    Mais notícias da tanga. A Rádio Renascença não devia embarcar nisto.