|
A+ / A-

Coligação não entende "novo quadro parlamentar", diz Costa

13 out, 2015 - 20:45 • , com Lusa

Proposta da coligação é "insatisfatória" para se chegar a um acordo que permita a formação de um governo por parte do PSD e CDS, mas PS diz que dá "mais uma oportunidade".

A+ / A-
Coligação não entende "novo quadro parlamentar", diz Costa
Coligação não entende "novo quadro parlamentar", diz Costa

António Costa diz que a coligação PSD/CDS revela não compreender o "novo quadro parlamentar" que resulta das eleições de 4 de Outubro. O trabalho da coligação para chegar a um acordo de governabilidade com os socialistas é insuficiente, afirmou o líder socialista depois de uma reunião de duas horas e meia com Passos Coelho e Paulo Portas.

"Consideramos que não traduz esforço suficiente, nem revela compreensão do novo quadro parlamentar em que estamos, em que é necessário um esforço efectivo que traduza mudança política, que rompa com a política de austeridade e empobrecimento", afirmou o líder socialista.

António Costa diz que o PS elencou "17 ou 18 exemplos de lacunas graves de que o documento [enviado pela coligação ao PS] enferma", mas acabou por dizer que o seu partido iria responder por escrito à proposta, passando a papel as críticas feitas durante a reunião com Passos e Portas.

Apesar da retórica pessimista, António Costa dá mais uma oportunidade à coligação. "A coligação [PSD/CDS] terá mais uma oportunidade de poder ponderar se efectivamente está em condições de poder criar melhores condições de governabilidade do que aquelas que dispõe".

O líder do PS, que esta terça-feira disse à agência Reuters que se encontra em melhor posição que a coligação para formar governo, em união com PCP e Bloco de Esquerda, falou aos jornalistas depois de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas. Ambos lamentaram o facto de os socialistas não terem feito uma contraproposta ao documento da coligação.

A linguagem adoptada por António Costa em relação a este encontro com a coligação contrasta com a que tem usado em relação às suas reuniões com os partidos da esquerda, que classifica como tendo sido "muito positivas".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Oportunidade
    14 out, 2015 Lx 10:46
    Vamos dar oportunidade à esquerda para mostrar o que vale. Não é necessário temer os mercados, eles ajustar-se-ão, com o passar do tempo, como fizeram com a coligação. É assim, e sempre foi assim, em todo o mundo. Não esquecer que eramos lixo e passados 4 anos continuamos lixo (igual), pelas agencias de cotação financeira. Com a agravante do povo ter sido conduzido a situações de miséria, não vista há muitos anos, e de já não conseguir dar mais. Já não há nada mais a fazer, com esta direita. A Coligação não resultou. O povo colapsou! (não se iludam os que ainda estão bem, ou os desinformados). Insistir na PAF seria o enterro final. Tudo o resto que eles dizem, na minha opinião, são tretas. E é de ver, os resultados que têm apresentado estão sempre a ser considerados, "alegadamente", manipulados - onde há fumo há fogo, já os antigos o diziam -. Apenas a Alemanha vem pôr paninhos quentes, a dizer que este governo está a fazer um bom trabalho, mas só porque lhes interessa (ou então tb estão "alegadamente" a ser manipulados...). Quem é que ganha mais com a desgraça dos países mais pobres da europa? Quanto é que a Alemanha ganhou com a crise na Grécia? Mais de 100 Mil Milhões de Euros (Vejam o Jornal Expresso de 10 de Agosto). Deixem-se de tretas e deixem os outros fazerem o trabalho que vocês (coligação) não conseguiram! (E eu votei PSD em 2011). Por isso, vamos dar oportunidade à esquerda para mostrar o que vale. Esta direita já mostrou que não valeu o meu voto.
  • Esta direita
    14 out, 2015 Pt 10:39
    Ajudada por alguns opinadores de serviço nos media, tudo fazem pars tentarem dividir o PS. Ontem na RTP, com o Rodrigues dos Santos ao leme, foi escandalosa a manipulação. Entrevistavam figuras do PS em que todos mantinham o apoio a Antonio Costa e no ecrã, por baixo, aparecia "PS dividido" Se isto não é manipulação então o que é?
  • Os profetas
    14 out, 2015 St 10:14
    Da desgraça dos apoiantes direitolas, depois de terem empobrecido o pais custe o que custar, de terem mandado emigrar 450 mil portugueses em 4 anos, para sairem da sua zona de conforto (leia-se destruição das familias que hipocritamente tanto afirmam defender), apelidando-os de piegas, de terem confiscado e roubado reformados e pensionistas, sem um programa eleitoral mas com medidas escondidas, querem continuar com mais do mesmo. Esta situação só está a demonstrar a incapacidade que o moço de fretes, encarregado pelo Cavaco, tem para ser um politico visionario. Não passa de um mero executante subserviente, do que lhe mandam fazer do exterior e aplica- nos a dose sem qualquer estrategia para um efectivo desenvolvimento do país. António Costa e a sua equipa, está a mostrar como se "trabalha" a serio, sem jogos de retórica de redondilha e é isto que custa a esta direita do faz de conta! Vai ser dificil, mas a esperança é a ultima a morrer e se entrarmos nos eixos só poderemos agradecer a Antonio Costa. Só os fracos desistem!
  • Bravo Portugal
    14 out, 2015 Sintra 09:34
    Cada partido tem aquilo que merece. Elegeram o Costa, agora aturem-no. Na verdade, estamos a assistir ao fim do Partido Socialista a exemplo do que acontece noutros países da Europa. Passos Coelho que não se preocupe. Nas próximas eleições vai ter uma maioria esmagadora pois todos os moderados que votaram PS irão votar PSD. Acresce que, independentemente de quem formar governo, as eleições serão sempre durante o próximo ano porque haverá sempre alguém a tirar o tapete a alguém
  • Alberto
    14 out, 2015 Funchal 09:33
    Para o Sr. Costa perceber: para ser contra o Benfica (p. ex.), o Porto pode votar com o Sporting...mas nunca quer dizer que estão unidos e por muito tempo. A diferença é entre VOTAR EM e VOTAR CONTRA. A falsa maioria que diz ser possível, é uma maioria CONTRA. Mas também é verdade que, se o Povo acha que , em vez de votar EM, se deve votar CONTRA, também deve arcar com as consequências...dentro de 1 ano!
  • José Maia
    14 out, 2015 Charneca do Lumiar 07:51
    Seja qual for a nossa posição política não existem dúvidas de que o Dr.António Costa foi a eleições como candidato a Primeiro Ministro. Ora os portugueses disseram-lhe que não; preferimos o Dr.Passos Coelho, mas em minoria. Atacado no interior do seu próprio partido tenta a sua salvação e com um pé na rua,agarra-se a uns pedaços de tábuas . Verificamos que até os partidos de Gente série e Gente de verdade deixaram de ser sérios e verdadeiros. Deixam de cumprir as suas bases programáticas para irem para um governo. A ser assim enganaram o seu eleitorado e vem demonstrar que cada vez o voto tem menos valor.
  • Pedro Dias
    14 out, 2015 STC 03:39
    Se for para aceitarem as mesmas propostas que o ps prometeu entao mais vale deixarem o ps formar governo e não participarem no que será certamente mais uma ronda de destruiçao da economia deste pais, só mesmo num pais como o nosso um partido consegue ter ainda algum tipo de credibilidade depois do saque a que sujeitaram a nossa gente, mas nem sei porque fico surpreendido, até horario nobre demos ao socrates na televisao publica, os socialistas prometem tudo o que seja popular, só nunca dizem quem vai pagar, nem parecem preocupar-se com isso, depender do crescimento do pais para pagar as contas numa altura em que até as economias emergentes estão com dificuldades é simplesmente ridiculo, fico até admirado como é que o Costa têm coragem de o dizer em voz alta, realmente se o pior acontecer não é por culpa dele, é de todos quantos votaram neles e em qualquer partido de esquerda que pela minha experiencia andam de mao dada com todos os descontentes por este pais fora que só sabem andar de mao estendida, que pensam que o estado tem de os sustentar, e alguns até sabem que o estado somos todos nós contribuintes que pagamos os nossos impostos e ainda se riem a boca cheia nos cafés, "que pague o zé povinho", de uma coisa tenho a certeza, estou farto de ser chulado
  • CARLOS MACEDO
    14 out, 2015 MAIA 02:57
    Quem não entendeu nada e continua a não entender és tu. FALSO, TRAIDOR, MENTIROSO, INSEGURO, SEM CARÁCTER, MARIONETA e fico-me por aqui.
  • Maria Luzia
    14 out, 2015 Lisboa 00:40
    Não deveria ser o partido que ganhou a definir a criação de coligações em ambiente pós eleitoral? Até domingo odiavam-se e agora amam-se por oportunismo. O que estes macacos são capaz de fazer para chegar lá. Metem nojo! Porque não fizeram a coligação antes? A vontade do povo deve ser respeitada. Não existem só 2 partidos em Portugal : a direita e a esquerda. Lembro-me que o meu boletim de voto até se tornou confuso pela intensidade e quantidade de conteúdo. O que significa que foram muitos partidos a candidatar-se. E como é lógico um deles que ganhou. O povo decidiu e vêm agora estes políticos da treta questionar esta decisão? Hilariante!
  • A. Moura
    14 out, 2015 Lx 00:14
    O Costa é capaz de fazer tudo para sobreviver, até aliar-se ao diabo O que ele não quer é estar sentado na bancada da oposição ou, o que é pior, ir para casa, sem emprego, ou então, o que também é mau, ir trabalhar para o escritório de advocacia dos amigos do PS. O que é preciso é ir para o poleiro e dar tachos à malta. O interesse do país é secundário! De tanta falta de carácter e de tanto oportunismo não estava à espera!