A+ / A-

Papa à Renascença: “A Virgem é mãe e acompanha o povo de Deus. Por isso, gostaria de ir a Portugal"

14 set, 2015 - 09:00 • Aura Miguel , no Vaticano

Em entrevista à Renascença, Francisco diz que Portugal é “privilegiado” por ter o santuário de Fátima. E deixa uma revelação: “Nunca conheci um português mau."
A+ / A-

O Papa Francisco reitera a vontade de estar presente no centenário das aparições de Fátima, em 2017.

“Tenho vontade de ir a Portugal para o centenário”, afirma Francisco em entrevista à Renascença. “Em 2017, também se cumprem 300 anos do encontro da Imagem da Virgem de Aparecida [padroeira do Brasil]. Por isso, também estou com vontade de lá ir e já prometi lá ir.”

“Quanto a Portugal, disse que tenho vontade de ir e gostaria de ir. É mais fácil ir a Portugal, porque podemos ir e voltar num só dia, um dia inteiro, ou, quanto muito, ir um dia e meio ou dois dias. Ir ter com a Virgem. A Virgem é mãe, é muito mãe e a sua presença acompanha o povo de Deus. Por isso, gostaria de ir a Portugal, que é privilegiado.”

O que espera Francisco dos católicos portugueses? “O que a Virgem pede sempre é que rezemos, que cuidemos da família e dos mandamentos. Não pede coisas estranhas. Pede que rezemos pelos que andam desorientados, pelos que se dizem pecadores - todos o somos, eu sou o primeiro.”

Nesta entrevista, o Papa diz ainda ter boa impressão dos portugueses. “Conheço muitos portugueses. E, no Seminário de Buenos Aires, havia muitos empregados, emigrantes portugueses, gente boa, que tinha muita familiaridade com os seminaristas. E o meu pai tinha um colega de trabalho português. Lembro-me do seu nome, Adelino, bom homem. E uma vez conheci uma senhora portuguesa, com mais de 80 anos, que me deixou boa impressão. Quer dizer, nunca conheci um português mau.” 


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria
    15 set, 2015 Porto 11:01
    Bem hajam a RR e Aura Miguel por nos terem proporcionado está entrevista maravilhosa cheia de Amor.