O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Carlos conta como foi internado numa ala psiquiátrica sem estar doente

Programa conduzido por Marina Pimentel

Em Outubro de 2013, quatro agentes da PSP bateram à porta de Carlos Rodrigues com um mandado de condução que dizia que era “portador de anomalia psíquica”, que o seu estado de saúde se tinha “deteriorado”, e que representava um perigo grave. Acabou por ficar internado 71 dias no Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital Egas Moniz, em Lisboa. Ao fim de oito meses, o tribunal declarou-o "mentalmente são". Oiça a história de Carlos, na primeira pessoa.