TERÇA À NOITE

"Quando se é refugiado significa que já não se aguenta mais”

22 mar, 2016 - 22:38 • Raquel Abecasis

Em entrevista à Renascença, a irmã Irene Guia conta a sua experiência de vida em campos de refugiados em Timor-Leste, Ruanda e Congo. A missionária portuguesa não tem dúvidas de que, por mais que a Europa faça, não vai conseguir travar o caminho a estas pessoas. "Quem é refugiado é como a água, quando há um furo num cano a água encontra maneira de chegar onde quer", diz.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.