O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Não é preciso ser "extraterrestre" para respirar debaixo de água

27 dez, 2017 - 15:36 • Catarina Santos com Lusa

Uma vez por mês, um grupo de utentes da Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC), em Gondomar, mergulha na piscina para ter aulas adaptadas. O objectivo é melhorar a mobilidade e a qualidade de vida. A iniciativa acontece há cinco anos, em parceria com o Centro Cultural e Desportivo da Câmara do Porto.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.