O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Como o pai de Avdo sobreviveu ao massacre de Mladić

22 nov, 2017 - 15:51 • Catarina Santos

Avdo Purcović nasceu em Srebrenica há 32 anos, no seio de uma família muçulmana. Em Março de 1992, sete dias antes de a guerra chegar ali, o pai pegou nele, na mãe e nas duas irmãs e levou-os para casa de uma tia em Tuzla, a 100 quilómetros. Regressou para cuidar do restaurante da família e ficou preso em Srebrenica até ao dia em que as tropas do general sérvio bósnio Ratko Mladić chegaram à cidade, em Julho de 1995. Foi um de dois muçulmanos que conseguiram sair vivos da base de Potočari, onde estava estacionado o batalhão holandês ao serviço da ONU, encarregado de proteger o enclave. Excerto da grande reportagem “20 anos são dois dias”, feita em 2015 na Bósnia.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.