O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Teodora Cardoso: Redução do défice feita com “medidas que não são sustentáveis”

02 mar, 2017 - 12:26

Portugal vai sair do procedimento por défice excessivo este ano, mas possa reentrar novamente tal como aconteceu no passado, avisa a presidente do Conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, em entrevista à Renascença e ao jornal “Público". Teodora Cardoso duvida da sustentabilidade das medidas que o Governo usou para conseguir reduzir o défice de 2016 para uns surpreendentes 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB). “Até certo ponto, houve um milagre”, afirma a presidente do Conselho de Finanças Públicas. A economista diz mesmo que a incerteza em relação à sustentabilidade da redução do défice, aliada a um passado de saída e posterior reentrada em défice excessivo, leva os mercados a não valorizar os resultados alcançados em 2016.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.