Há um espaço de "cowork" solidário em Lisboa. Paga-se renda e ajuda-se projectos solidários
Editado por Manuela Pires
Inserido em 06-03-2017 16:25

O "cowork" da Fundação São João de Deus, que fez agora seis anos, foi o primeiro "cowork" solidário em Portugal. Ajuda a garantir a sustentabilidade dos projectos sociais da fundação.

O terraço do "cowork" da Fundação São João de Deus é o espaço preferido por todos aqueles que escolheram este espaço para trabalhar. António Vieira está sentado na esplanada do terraço do Space for you, a trabalhar, tem o computador portátil à frente. É o responsável por uma das 24 empresas que ocupam o "cowork" da Fundação São João de Deus, situado no centro de Lisboa, ao Campo Pequeno.

António Vieira é o CEO da Cogitatio, “uma editora de revistas científicas 'online' e de acesso aberto”. Tem 31 anos, tirou o curso de comunicação em Portugal, estudou em Bruxelas e na Eslovénia, esteve três anos na Suíça a trabalhar numa editora de revistas científicas e foi daí que trouxe a ideia para Portugal. “Convidamos autores de universidades para colaborarem connosco. Temos quatro revistas, em quatro áreas diferentes: política, sociologia, urbanismo e comunicação”. Nas várias revistas, há textos académicos que chegam dos Estados Unidos, da Dinamarca, do Reino Unido, de Itália ou da Finlândia.

A Cogitatio é uma das 24 empresas instaladas no "cowork" da Fundação São João de Deus. Um espaço de trabalho partilhado situado no centro de Lisboa, que para António Vieira tem vários atractivos, para além da localização e do terraço, “ e depois a parte solidária, porque a renda que pagamos pelo nosso espaço permite á fundação financiar os seus projectos e ajudar outras pessoas”.

O Space for You faz agora seis anos, tem lotação esgotada, 24 empresas e três associações que pagam entre 130 e 150 euros por mês pelo espaço de trabalho. O presidente da Fundação São João de Deus, Rui Ferreira Amaral, diz que todos os "coworker"s que estão neste espaço também são benfeitores da fundação. O valor que pagam todos os meses tem um propósito que é ajudar no pagamento das contas do edifício, mas, todos os anos, quando sobra algum valor, a verba é encaminhada para um dos nossos projectos solidários”.

Para além da parte financeira, este espaço de "cowork" é também uma forma de partilhar conhecimentos, de entreajuda, “ já fizemos inúmeras iniciativas com cada uma das empresas que está aqui a trabalhar, uns por causa de livros, outros conteúdos, e até facilitação de contactos”, refere Rui Ferreira Amaral.

Neste espaço há uma imobiliária, uma agência de viagens, a sede da Associação Portuguesa de Celíacos, um restaurante italiano e a empresa responsável pelo "franschising" das lojas de costura "Corte e cose". A empresa já esteve noutros locais, mas Marco Cândido diz que este é um espaço diferente, solidário “ através das conversas informais que temos com os responsáveis da fundação São João de Deus, temos uma visão interessante do apoio social que podemos desenvolver a pessoas, a causas e ajuda-nos a seguir também esses passos”.

O "cowork" da Fundação São João de Deus, que fez agora seis anos, foi o primeiro "cowork" solidário em Portugal. Ajuda a garantir a sustentabilidade dos projectos sociais da fundação.

Esta reportagem foi transmitida no espaço das 12h da Renascença, em que à segunda-feira damos destaque aos temas sociais, de solidariedade e relacionados com a vida da Igreja.