Corrosivo. Paiva dos Santos chama a Bruno "pai do 'tetra'"
Inserido em 11-05-2017 18:15

Sócio leonino arrasa anúncio de reatamento de relações entre Sporting e FC Porto, rotulando-o de "aliança estratégica" contra o Benfica. João Paiva dos Santos "convida" Bruno de Carvalho a demitir-se, ao invés de se tratar da saída de Jesus de Alvalade.

João Paiva dos Santos considera Bruno de Carvalho o “pai do 'tetra' ” que o eterno rival Benfica se prepara para carimbar e classifica de “aliança estratégica” o retomar de relações institucionais entre Sporting e FC Porto.

Os dois emblemas vão retomar as relações institucionais interrompidas há quatro anos, de acordo com um comunicado conjunto assinado pelos directores de comunicação de dragões e leões, Francisco J. Marques e Nuno Saraiva, respectivamente.

Numa reacção a este anunciado aperto de mão entre Pinto da Costa e Bruno de Carvalho, o sócio leonino – que viu rejeitado um pedido de auditoria à gestão do actual presidente, nos termos por si propostos – entende estar-se na presença apenas e só de uma aliança contra o Benfica, o que desvirtua o que deveria ser o normal relacionamento entre instituições.

“O reatar de relações entre clubes é uma coisa de louvar, porque o futebol não deve ter guerras. Tendo em conta que não é disso que se trata e que é uma aliança estratégica contra terceiros, o Sporting deve seguir o seu caminho sozinho e não fazer estratégias com A para travar B. Bruno de Carvalho criticava isso. É um embuste porque faz aquilo que sempre criticou. O Bruno de Carvalho está prestes a ser o pai do tetracampeonato do Benfica. Vai tarde demais para evitar isso. Deveria trabalhar para o Sporting ser campeão e não fazer alianças com A ou B para, no final, ser ultrapassado por esses clubes", dispara, sem reservas, em entrevista a Bola Branca.

Jesus no "limbo". "Se calhar, o melhor é o presidente sair"

Sobre o tema Jorge Jesus, cujo futuro em Alvalade se tornou numa incógnita, após a derrota com o Belenenses (1-3), João Paiva dos Santos sugere a Bruno de Carvalho que se demita, ou que, em alternativa, seja Jorge Jesus a demitir-se.

Depois das críticas assumidas publicamente após a derrota com o Belenenses, o reafirmar da confiança em Jorge Jesus, assumido esta quinta-feira por Bruno de Carvalho nas redes sociais, encerra em si alguma incoerência, na leitura do associado verde e branco.

“Se ele (Bruno de Carvalho) apostou neste treinador que é competente, deveria fazê-lo mas também deveria saber quando parar. Ou sai o Bruno, ou sai Jesus ou saem os jogadores mas alguma coisa tem de mudar. Se calhar, o melhor é sair o presidente, porque um treinador que custa oito ou nove milhões de euros por ano será certamente competente. Ou sai Bruno ou saem os dois. É caro demais fazer apostas destas à custa dos sportinguistas. O presidente do Sporting responde muito a quente e, depois, alguém o aconselha a tomar outras posições. A seguir, vira o discurso. Já estamos habituados. Incoerência é um dos motes de Bruno de Carvalho", completa.