Alzheimer. Que memória gostaria de guardar? O Presidente partilhou a dele
Inserido em 01-09-2017 08:01

Assinala-se, a partir de hoje, o Mês Mundial da Doença de Alzheimer. Campanha da Alzheimer Portugal convidou várias figuras públicas a partilhar nas redes sociais a memória mais importante. O convite estende-se a toda a população.

Veja também:


“A memória que eu gostaria de guardar..." é o mote da campanha da Alzheimer Portugal com início nesta sexta-feira, dia 1 de Setembro. Marcelo Rebelo de Sousa é a primeira figura pública a partilhar a sua.

Mas foram várias a receber o convite para fazerem e publicarem um vídeo da sua melhor memória, entre animadores de rádio, deputados, jornalistas e até bloggers.

O desafio estende-se a todos os portugueses: gravar um vídeo que comece com a frase "A memória que eu gostaria de guardar..." e partilhá-lo nas redes sociais, usando as hashtags #memoriasparaguardar e #passeiodamemoria. Nessa altura, deve desafia três amigos para fazer o mesmo.

Os vídeos serão partilhados ao longo do mês de Setembro pela Alzheimer Portugal nas suas páginas no Facebook e no YouTube.

Com este movimento a Associação Alzheimer Portugal, que assinala o seu 30º aniversário no próximo ano, pretende reforçar a importância das demências serem consideradas uma prioridade de saúde pública e de ser criado um Plano Nacional para as Demências que contemple um percurso de cuidados adequado, assim como apoios aos cuidadores destes doentes.


Paulino Coelho, uma das vozes da Renascença, quer guardar "as duas memórias mais bonitas" da sua vida: o nascimento dos seus filhos.

Renato Duarte, da Renascença, quer preservar uma memória relacionada com o seu irmão que o fez chorar de alegria.

Miriam Gonçalves, da Renascença, quer preservar algo diferente: a memória das vozes daqueles que já partiram.

Passeio da memória

A campanha “Memórias para Guardar” pretende também mobilizar os portugueses para a caminhada solidária da Alzheimer Portugal, que se realiza todos os anos em Setembro. É o “Passeio da Memória”, cujos fundos das inscrições revertem, na íntegra, para a associação.

A caminhada realiza-se em várias localidades do país, em datas diferentes (que pode consultar aqui).

O objectivo é informar e consciencializar as pessoas para a importância de reduzir o risco de desenvolver demência, para os sinais de alerta da Doença de Alzheimer e, sobretudo, para a importância do diagnóstico atempado.

A Alzheimer Portugal é a única organização em Portugal, de âmbito nacional, especificamente constituída com o objectivo de promover a qualidade de vida das pessoas com doença de Alzheimer e dos seus familiares e cuidadores.

De acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), existem em todo o mundo 47.5 milhões de pessoas com demência, número que poderá atingir os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050 para os 135.5 milhões.

A doença de Alzheimer assume, neste âmbito, um lugar de destaque, representando cerca de 60% a 70% de todos os casos de demência, segundo a OMS.