Media. Comissões Episcopais de Portugal e Espanha defendem prioridade da "comunicação digital"
Editado por Agência Ecclesia
Inserido em 07-06-2017 11:55

"São cada vez mais os utilizadores que acedem à informação e formação através dos 'smartphones' e a Igreja tem de estar aí para se encontrar com todos”, lê-se nas conclusões do encontro ibérico, que decorreu em Múrcia.

As comissões dos episcopados católicos de Portugal e Espanha para a área dos media defenderam, esta quarta-feira, em comunicado, a necessidade de promover a “comunicação digital” na Igreja, respondendo aos desafios que o sector coloca.

“As instituições da Igreja, têm de dar prioridade à comunicação digital e à produção e distribuição de conteúdos 'online'. São cada vez mais os utilizadores que acedem à informação e formação através dos 'smartphones' e a Igreja tem de estar aí para se encontrar com todos”, refere o documento conclusivo do encontro ibérico que decorreu em Múrcia, Espanha, desde segunda-feira.

Os membros da Comissão Episcopal dos Meios de Comunicação Social (Espanha) e da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais (Portugal) propõem, para este fim, a criação de um “plano de ação com recursos”.

Os responsáveis por estas comissões reflectiram, com a ajuda de peritos, o tema "A imagem para mostrar a identidade da Igreja".

“A Igreja, sempre atenta aos sinais dos tempos, está chamada a ocupar um lugar no universo digital para servir de ponto de encontro entre as pessoas e o transcendente”, refere o texto das conclusões, enviado à Agência ECCLESIA.

Os participantes sublinham a progressiva perda de influência dos meios de comunicação tradicionais face às redes sociais, pedindo às instituições católicas uma “presença digital” que seja “autêntica e coerente”.

“É importante assumir este ambiente criado pelas ferramentas digitais. A palavra e as mensagens são as mesmas, mas a comunicação tem de ser mais intuitiva, audiovisual, constante, emotiva, relacional”, referem.

O documento fala na necessidade de criar a “catedral digital” que seja “uma referência neste novo ambiente, repleto de imagens, relações onde se compete por captar a atenção”.

“Hoje o bem mais escasso para a comunicação não é o tempo, mas a atenção das pessoas, pelo que é necessário captar a atenção para provocar a comunicação”, prosseguem as conclusões.

O encontro aconteceu no marco do Ano Jubilar de Caravaca de la Cruz, junto da relíquia da Cruz de Jesus, o "lignum crucis".