O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Francisco Sarsfield Cabral

Um importante gesto alemão

28 ago, 2015 • Francisco Sarsfield Cabral

Até agora, quase só se tinha visto, dentro da União Europeia, medidas nacionais para impedir a entrada daqueles que fogem à guerra e à fome e que Cameron classificou de “praga”.
Merkel e Schauble são, para muitos europeus, os rostos antipáticos da imposição de medidas de austeridade. Mas esta semana Berlim tomou a primeira decisão séria de um governo europeu sobre o afluxo de imigrantes.

Contrariando a preocupação da opinião pública alemã quanto a esse afluxo e sob os insultos de “traição” dos xenófobos e neonazis, Merkel decidiu acolher todos os sírios que cheguem à Alemanha. Schauble duplicou os fundos destinados às cidades que acolhem refugiados. E disse que a consolidação orçamental não passa à frente do apoio a refugiados.

Até aqui, na UE, quase só tínhamos visto medidas nacionais para impedir a entrada destes desgraçados, que Cameron classificou de “praga” – muros, arame farpado, gás lacrimogéneo, até blindados.

Finalmente, aí está um gesto de humanidade e solidariedade. E vem de políticos alemães, que assim mostraram ter coragem e sentido ético. Veremos se o exemplo alemão encontra algum eco noutros países, reanimando os valores e os ideais europeus que tão esquecidos andam.


P.S. Esta coluna vai para férias, devendo regressar no final de Setembro.