O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Líder da Renamo terá sido atacado

18 Out, 2013 • José Carlos Silva

Não se sabe o estado de Afonso Djakama. Não há declarações por parte do Executivo moçambicano.

O quartel-general onde está a viver o líder da Renamo, em Moçambique, foi atacado com armas, garante o porta-voz do partido.

Há relatos de disparos sobre o quartel e desconhece-se o estado de saúde de Afonso Djakama, o líder máximo da Renamo, afirma à Renascença Fernando Mazanga, porta-voz do maior partido da oposição moçambicana.

Fernando Mazanga assegura já ter começado a trocar informações com o Governo da Frelimo, até porque o ataque desta quinta-feira confirma a escalada na violência que ele próprio testemunhou na região.

Ontem registaram-se incidentes entre militares da Renamo e da Frelimo na região. E esta quinta-feira o regresso a Maputo, foi nas palavras do porta-voz da Renamo, atribulado.

“Quando estávamos a sair do local despedimo-nos do presidente Afonso Djakama para regressarmos a Maputo. Quando chegámos ao local dos confrontos de ontem as forças de defesa e segurança de Moçambique ocuparam o local e apontaram-nos as armas”, refere Fernando Mazanga.

Não houve ainda comentários a estas declarações por parte de forças governamentais moçambicanas.