O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Papa aconselha jovens a manterem o “software” religioso actualizado

02 dez, 2017 - 10:01 • Aura Miguel , Filipe d'Avillez

Francisco terminou a sua visita ao Bangladesh tal como tinha feito no Myanmar, com um encontro com os jovens. O Papa falou ainda da importância de não se desligarem das gerações mais velhas.
A+ / A-

O último dia do Papa no Bangladesh começou bem cedo, com uma visita à “Casa Madre Teresa” uma das primeiras fundadas pela santa missionária mais famosa do mundo. É uma casa que dá apoio a milhares de órfãos e pessoas com deficiência física e mental. Um lugar de acolhimento, mesmo no coração da zona velha da cidade, e ao lado da Igreja do Santo Rosário, fundada pelos portugueses no século XVI.



Nesta igreja o Papa encontrou-se com sacerdotes, religiosos e consagrados, antes de visitar também o cemitério antigo, onde estão sepultados os primeiros missionários que vieram de Portugal para estas terras – uma herança que a Igreja do Bangladesh continua a valorizar, ao ponto de convidarem o Papa a visitar este cemitério.



Ao início da tarde, Francisco foi a um campus universitário para um encontro com jovens. À semelhança do que fez em Myanmar, o Papa encerra assim esta viagem com chave de ouro, com uma aposta clara nas futuras gerações do Bangladesh.

No encontro com os jovens Francisco começou por ouvir dois testemunhos de jovens bangladeshianos e depois falou-lhes sobre a importância de terem objectivos de vida, recorrendo a exemplos das novas tecnologias.

“Os jovens estão sempre prontos para avançar, fazer com que as coisas aconteçam e correr riscos. Encorajo-vos a avançar com este entusiasmo nas circunstâncias boas e nas más. Avançar, especialmente nos momentos em que vos sentis oprimidos pelos problemas e pela tristeza e, olhando para fora, parece que Deus não Se faz ver no horizonte. Mas, ao avançar, certificai-vos de escolher o caminho certo. Que significa isto? Significa saber viajar na vida, não vaguear sem rumo”, disse o Papa.

“A nossa não é vida sem direção; tem um objetivo, que nos foi dado por Deus. Ele guia-nos, orientando-nos com a sua graça. É como se tivesse colocado dentro de nós um software, que nos ajuda a discernir o seu programa divino e a responder-lhe livremente. Mas, como qualquer software, também este precisa de ser constantemente atualizado. Mantende atualizado o vosso programa, prestando ouvidos ao Senhor e aceitando o desafio de fazer a sua vontade.”

De seguida, numa sociedade de esmagadora maioria muçulmana, mas com muitas comunidades de outras religiões, Francisco apelou à importância de as religiões estarem abertas ao diálogo. “Quando um povo, uma religião ou uma sociedade se tornam um ‘pequeno mundo’, perdem o melhor que têm e precipitam numa mentalidade presunçosa, que faz dizer ‘eu sou bom, tu és mau’. A sabedoria de Deus abre-nos aos outros. Ajuda-nos a olhar para além das nossas comodidades pessoais e das falsas seguranças que nos deixam cegos perante os grandes ideais que tornam a vida mais bela e digna de ser vivida.”

Como forma de manter o rumo, Francisco sugeriu aos jovens que mantenham os olhos postos nas gerações mais velhas. “Através das suas palavras, do seu amor, do seu carinho e da sua presença, compreendemos que a história não começou connosco, mas somos parte de um antigo «viajar» e que a realidade é maior do que nós. Falai com os vossos pais e avós, não passeis o dia inteiro com o telemóvel, ignorando o mundo ao vosso redor!”



Francisco regressa agora a Roma, após vários dias de viagem que o levaram primeiro ao Myanmar e depois ao Bangladesh.



A Renascença com o Papa em Myanmar e no Bangladesh. Apoio: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Rosa Mistica VISITAR
    05 dez, 2017 w.w.w.mensajesdelbuenpastorenoc.org/ 09:05
    Jovens, a tecnologia luciferiana de Big Brother está prestes a começar. Cuidem-se desta tecnologia (nanotecnologia) sem qualquer razão, ireis comprá-la, porque serve ao meu adversário e tem como objetivo subjugar e escravizar a humanidade. Crianças, através dos novos celulares que sairão com esta tecnologia, meu adversário dominará uma grande parte da humanidade. A nanotecnologia em dispositivos eletrônicos será carregada com ondas de baixa e alta frequência que, quando usadas, afetarão ondas cerebrais. O sistema nervoso central estará fora de controle e a vontade das pessoas que usam essa tecnologia será afetada. Dominará a mente e assumirá a alma daqueles que usam toda essa nova tecnologia. Filhos, veja que eu vos aviso com antecedência para que não caiam nesta armadilha, lembre-se de que meu o meu adversário usará todos os meios para perder o maior número de almas. Cuidem das crianças, investiguem e descubram tudo, não corram como cordeiros para o matadouro; não experimentem nada, porque pode haver o engano que lhe custará a vida. Lembrem-se de que serão como ovelhas no meio de lobos; peça muito discernimento ao Espírito Santo de Deus, antes de tomar qualquer decisão; Por falta de conhecimento, o que perdem é a alma. Mais uma vez vos digo: Não deixem de rezar o meu Rosário, porque é a arma espiritual mais poderosa que o céu vos deu. Rasguem vossos corações, filhos, porque o retorno triunfante de meu Filho está se aproximando. Vossa Mãe que vos ama, Maria Rosa Mística.