|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

Sabe porque dizemos “ficar a ver navios”?

29 nov, 2017 - 15:34 • Maria João Costa

Foi há 210 anos que Portugal deixou o exército de Napoleão a "ver navios". Uma história contada na exposição “Partida da Família Real para o Brasil – 1807”, patente no Museu dos Coches.

A+ / A-

Foi uma falsa partida. A 26 de Novembro de 1807, a família real portuguesa embarcou em Belém pronta para fugir para o Brasil. Mas a viagem foi curta, até Cascais. Sem vento, a fuga só se concretiza, uns dias depois, a 29 de Novembro. O episódio está retratado numa pintura atribuída a Nicolau Delerive que pode ser vista a partir desta quarta-feira no Museu Nacional dos Coches, em Lisboa.

“Partida da Família Real para o Brasil – 1807”, que será inaugurada às 18h30, conta a história desta atribulada viagem que deixou os soldados franceses de Napoleão “a ver navios”.

Quando as tropas lideradas por Junot chegaram a Portugal, às 9h00 de dia 30 de Novembro, já a frota de 14 navios tinha levantado ferro e navegava, primeiro em direcção a Cabo Verde, depois até ao Rio de Janeiro. O exército, com cerca de 26 mil homens, ficou, literalmente, a ver navios.

A bordo dos navios em fuga seguiam, além da família real, cerca de 15 mil pessoas, uma biblioteca com 60 mil livros, e também o trono do rei em fuga, D. João VI.

A directora do Museu dos Coches explica que entre a “tralha” toda a bordo iam também “vários coches”. Alguns deles não regressaram a Portugal, diz Silvana Bessone.

Além de vários objectos que terão feito esta viagem até ao Brasil, a exposição tem também contribuições do Museu da Marinha, como a “maquete do barco em que D. João VI foi para o Brasil”. Entre as 80 obras há também contribuições do Museu Nacional de Etnologia, Sociedade de Geografia de Lisboa, Palácio Nacional de Queluz, entre outros.

A exposição não só fala da viagem, como do “contacto entre culturas”, indica Silvana Bessone. A estadia da Corte Real no Rio de Janeiro entre 1808 e 1821 “foi importante para o desenvolvimento do Brasil”. Esta viagem transferiu pela primeira vez uma capital de um Estado europeu para fora dos limites do continente.

A nova exposição temporária do Museu Nacional dos Coches poderá ser visitada de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 18h00, até 3 de Junho de 2018.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.