A+ / A-

Ambientalistas avisam: seca está a fazer disparar recurso a energia não-renovável

27 nov, 2017 - 14:36 • André Rodrigues

Associação Zero quer o país a procurar formas mais limpas de energia e lembra que o que ficou dos incêndios deste Verão pode ser alternativa.
A+ / A-

A associação ambientalista Zero alerta que a baixa disponibilidade de água nas grandes barragens está a fazer disparar o recurso a fontes de energia não renováveis para produção de electricidade.

De acordo com os dados da associação ambientalista, entre Janeiro e Setembro deste ano, a geração de energia a partir do carvão e do gás natural produziu 24 milhões de toneladas de dióxido de carbono, o que representa mais 31% do que em igual período do ano passado.

Em declarações à Renascença, a dirigente da Zero Carla Graça diz que, no mesmo período, "a produção de electricidade com origem hídrica diminuiu 58% e a produção com recurso a carvão aumentou 61%, com emissões de gases com efeito de estufa muito superiores do que aquilo que estaria previsto que Portugal emitisse".

O país precisa, por isso, "de se adaptar já" a cenários de secas prolongadas e extremas "que serão cada vez mais recorrentes e cada vez mais dramáticas nas próximas décadas".

O caminho, diz Carla Graça, passa por "mais energia renovável, mas não necessariamente hídrica: eólica, fotovoltaica, microgeração e biomassa".

No pior ano da década em número de incêndios e de área ardida, Carla Graça aponta dá especial destaque à produção de energia com recurso a biomassa como "uma forma rentável e inteligente de utilizar os resíduos que se acumulam nos territórios florestais - sobretudo no interior do país - e que, face à seca extrema, são responsáveis por incêndios de dimensões dramáticas".

A dirigente da Zero lembra, contudo, que "não se deve cair na perversidade de plantar para depois cortar e ter fonte de energia".


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Francisco
    27 nov, 2017 Almada 17:47
    Então a energia renovável está a acabar e é uma farturinha de energia não renovável?
  • mini mendes
    27 nov, 2017 queluz 17:15
    a energia e a nuclear a adotar o resto e conversa para ingles ver e ouvir ponto final
  • F Soares
    27 nov, 2017 A da Gorda 16:48
    Algumas medidas de poupança: Pedir ao pessoal para tomar banho simultâneo com a companheira.... Poupa metade da água, aumenta a natalidade e a prazo outras vantagens que vêm da colocação em prática da medida. Não riam, porque não é novo . Creio que foi posto em prática na década de 1990 pelos ingleses quando passaram por uma situação de seca ( sim, também no UK !). Ir para a cama mais cedo: poupa na energia elétrica , vê menos TV ( logo melhora a saúde mental e não é manipulado tantas vezes), descansa mais, mais rendimento no trabalho, aumenta a produtividade e aumenta a natalidade com especial contributo para a melhoria dos indicadores demográficos. E ser nos pomos a escavar, verão que se encontram muitas mais e mais vantagens ! Se calhar há males que vêm por bem, como diria a minha avó!
  • Dav
    27 nov, 2017 centro 16:48
    Continuaremos a cavar a nossa propria sepultura enquanto a economia for baseada no capitalismo em vez do que é correcto para com a vida Humana, tempo de sermos Humanos e não consumidores porque senão vamos sofrer as consequencias durante gerações.
  • F Soares
    27 nov, 2017 A da Gorda 16:38
    E o que é que querem fazer????? Por o pessoal a soprar nas eólicas ???? Haja Deus ! Isto é notícia ou é só para promover amigos ?
  • Alberto
    27 nov, 2017 Funchal 15:50
    Os Animais não gastam energia para cozinhar, tomar banho ou em Transportes! Tal e qual os "Zeros"!!
  • AA
    27 nov, 2017 LX 15:43
    PORTUGAL TEM QUE SE FOCAR COMPLETAMENTE NO SOLAR. É TÃO SIMPLES QUANTO ISSO.
  • José Saraiva
    27 nov, 2017 Viseu 15:41
    chama-se a isto..CONCERTAÇÃO....com tanta "pressão" a favor da EDP, não tardará e teremos aumentos das TARIFAS...OS CHINESES AGRADECEM