A+ / A-

​Piratas roubaram dados de milhões de clientes da Uber

21 nov, 2017 - 23:26

Ataque informático aconteceu no final do ano passado. A Uber pagou cerca de 85 mil euros aos “hackers” para eliminarem a informação dos clientes e motoristas.
A+ / A-

O presidente executivo da Uber revelou esta terça-feira que os dados de 57 milhões de clientes e motoristas em todo o mundo foram pirateados no final de 2016.

Entre os 57 milhões de utilizadores estão 600 mil motoristas, cujos nomes e número de carta de condução ficaram nas mãos dos “hackers”.

Os nomes dos utilizadores, bem como os respectivos endereços electrónicos e números de telemóvel também foram obtidos pelos piratas, indicou Dara Khosrowshahi, em comunicado.

A Uber pagou cerca de 85 mil euros aos piratas informáticos para eliminarem a informação dos clientes e motoristas, segundo a Bloomberg.

"Nada disto devia ter acontecido"

“Apesar de não termos detectado provas de fraude ou de utilização indevida [de dados] relacionados com o incidente, estamos a monitorizar as contas afectadas que estão assinaladas para protecção adicional contra fraudes”, explica Dara Khosrowshahi.

“Nada disto devia ter acontecido e não vamos inventar desculpas”, acrescentou o responsável da Uber.

Dara Khosrowshahi diz que não pode apagar o que aconteceu e, em nome de todos os empregados da Uber, promete que a empresa vai aprender com os seus erros.

O anterior presidente executivo da multinacional Travis Kalanick estava a par da quebra de segurança, mas só agora é que o incidente foi revelado.

A Uber é uma plataforma que permite aos clientes chamar um motorista através do telemóvel, uma actividade concorrência aos tradicionais taxis.

[notícia actualizada às 00h25]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Pedro
    22 nov, 2017 Lisboa 17:00
    Pois eu sirvo-me bastante da Uber e só tenho a dizer bem do seu serviço ,rápido, eficiente e barato!
  • silva
    22 nov, 2017 coimbra 08:34
    com empresas americanas é preciso cuidado, só conta o dinheiro, de resto vale tudo...
  • taxista
    22 nov, 2017 Lisboa 07:51
    rsrsrsrsrsrsrs.....