A+ / A-

Ana Galvão é a nova voz das tardes da Renascença. "Quero ser o espelho do ouvinte"

18 nov, 2017 - 09:30

Renascença reforça aposta nas tardes. Ana Galvão vai mostrar o melhor de Portugal, das redes sociais, das notícias e da cultura.

A+ / A-
Ana Galvão é a nova voz das tardes da Renascença
Ana Galvão é a nova voz das tardes da Renascença

Ana Galvão é a nova voz das tardes da Renascença. A 27 de Novembro, a radialista vai conduzir a antena da sua rádio das 16h00 às 20h00.

A entrada de Ana Galvão na Renascença, depois de um percurso de 18 anos na Antena3, reforça a aposta feita há um ano, quando Carla Rocha assumiu a condução das manhãs.

O programa de Ana Galvão vai olhar para o mundo e o país, destacando o que Portugal tem de melhor, seleccionar o que de mais divertido e essencial acontece nas redes sociais e revelar a actualidade da música e da cultura.

Ao fim da tarde, com José Pedro Frazão e Pedro Azevedo, Ana Galvão vai ajudar a identificar os grandes temas do dia – as notícias, histórias e protagonistas que é preciso ouvir para ficar a par com o mundo.

“Espero trazer alegria aos fins de tarde dos portugueses e a quem nos ouve pelo mundo fora”, diz. “Quero trazer um bocadinho do meu mundo, contar-vos quem sou e que tipo de coisas gosto de fazer. Quero também trazer um pouco mais de cultura pop e do que se passa na cultura. Queremos muito ter músicos que falem da sua própria música. E, sobretudo, tenho muita vontade que os ouvintes tenham um lugar importante, que possa participar”, afirma a radialista, com 43 anos.

Ana Galvão: "Aceitei o convite da Renascença quando estava na Mongólia"
Ana Galvão: "Aceitei o convite da Renascença quando estava na Mongólia"

Com uma carreira de 24 anos na rádio, Ana Galvão recebeu o convite com alegria. “Aqui na Renascença há muito espaço para a rádio falada, que sempre foi a rádio que mais gostei de escutar. Sempre fui ouvinte da Renascença porque apostou sempre muito na palavra e na relação com o ouvinte. Fiquei muito feliz com este convite”, afirma.

Para além das novidades, as tardes da Renascença vão manter espaços como a Tertúlia Bola Branca (às segundas), o Conselho de Directores (quintas) e A Semana do Comendador Marques Correia (sextas), todos depois das 19h00.

Uma vida de rádio

A nova voz da Renascença nasceu em Madrid, onde viveu até aos 14 anos. Passou pela extinta Rádio Comercial da Linha, pela Rádio Marginal e pela Rádio Expo (projecto da RDP durante a Expo 98), até chegar à Antena3, em 1999.

“Quase não me lembro da minha vida sem rádio. Comecei a fazer rádio aos 19 anos. Mesmo antes disso, já estava na escola e ia várias tardes ver um amigo fazer rádio. A minha função era escrever numa folha as músicas que ela passava, por uma questão de direitos de autor”, conta.

Chegada à Renascença, Ana Galvão tem uma missão: “Quero ser o espelho do ouvinte.” “O meu papel é fazer as perguntas que acredito que o ouvinte tem", acrescenta. "E embrulhar tudo com a cultura: a vinda de um artista importante a Portugal também é informação, também nos faz mexer, sair de casa, é um assunto de que se fala no dia seguinte. O meu papel será o de fazer companhia ao ouvinte e de fazer a ponte entre o ouvinte e a parte informativa das tardes da Renascença.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ana Martins
    04 jan, 2018 Ericeira 18:25
    Muito Boa tarde. Só consegui ouvir os últimos segundos de uma entrevista com Marta Nunes, feita pela Marta Ventura . Hoje no Progr. da Tarde com Ana Galvão.O nome da leiloeira p.f. estava interessada. Boas emissões com a qualidade que assiste aos programas da Renascença. Bom Ano Novo
  • 27 nov, 2017 16:58
    Ola Ana,, Bem vinda a Grande Radio Renascença e que seja o 1°de muitos bons dias. Parabens Renascença pela nova aquisiçao. Promete!!!!!!
  • Joaquim Luiz Santos
    21 nov, 2017 Cabanas de Tavira 18:17
    Tenho o prazer de a conhecer pessoalmente.É uma mulher extraordinária.Bem vinda à Renascença com votos de muito sucesso o que não deve ser difícil.
  • Judite Gonçalves
    20 nov, 2017 Barreiro 16:42
    Não conheço a Ana Galvão, por isso não posso dizer que é uma boa aquisição, em todo o caso espero que seja boa. Atualmente e infelizmente não tenho muita oportunidade de ouvir rádio. Mas quando tenho oportunidade oiço sempre a Renascença, rádio que oiço há muitos anos e que influenciou muito a minha vida. Os tempos mudam e a rádio também, já passou por aí muita gente espetacular . Mas parece que à medida que o tempo vai passando o melhor vai-se perdendo. Claro que não se pode ficar parado no tempo, mas era tão bom ouvir pessoas como o José Relvas, Luís Loureiro, Ana Paula Antunes, Mariana Marques Vidal, Paulino Coelho, Sónia Santos, Carlos Bastos, Óscar Daniel, Júlio Heitor, a Miriam Gonçalves, a Teresa Alves, que acabou por ir embora, toda a malta da informação o do desporto. Mas parece que o melhor vai desaparecendo. Não minha opinião um programa de 4 horas ao fim da tarde é um bocado longo. Mas pode ser que resulte. Esperamos que não seja mais um programa de cusquices, ao nível das redes sociais. Porque o que é necessário na Rádio é animação, muita música, informação diversificada. Algo que informe e que forme os ouvintes.
  • Paulo Veiga
    20 nov, 2017 Lisboa 15:06
    Boa tarde, RR, muitos parabéns pela vinda da Ana Galvão e boa sorte para todos.
  • Maria de Lurdes Gonç
    19 nov, 2017 Caldas da rainha 16:22
    Que é feito do Óscar Daniel?
  • AF
    18 nov, 2017 fafe 18:25
    Há mais de 40 aos que sou ouvinte da RR. Muitos foram os programas e locutores que ouvi e, alguns marcaram, positivamente, a minha vida.Sou favorável à mudança,a evolução em radio deverá ser permanente. A grelha actual da RR tem aspectos positivos, tais como, uma maior interacção entre equipa de informação e de programação, uma interactividade permanente com a Internet... Acho que, pela negativa, será o facto de o programa da Manhã estar permanentemente cheio de assuntos e entrevistas que surgem aglomerados, e geram uma certa confusão no ouvinte. Seria também positivo, em minha opinião, que o Miguel Coelho entrevistasse e não "interrogasse" os convidados. Estes, precisam de tempo para formular as suas respostas. Sugiro que siga o estilo do J.Pedro Frazão, esse sim consegue que os seus entrevistados sejam esclarecedores! Não sei se a RR precisa de novas vozes...a Sónia Santos e a Isabel Pereira, estão remetidas para a noite, onde as audiências não deverão ser muito altas!... Como ouvinte, recomendaria,não só à Carla Rocha e restantes comunicadores, mas também a quem escolhe as musicas, que...DIVERSIFIQUEM MUITO MAIS AS MUSICAS QUE TOCAM! É cansativo estar a ouvir uma rádio que repete...repete..Esse é sem duvida o lado mais negativo da nossa RR!
  • Veríssimo
    18 nov, 2017 Porto 15:32
    Bravo RR.
  • Pedro
    18 nov, 2017 Peso da Regua 11:12
    Bom Dia., Boa contratação, foi pena estragarem o programa da Manhã ( 7 as 10) . Há 26 anos que vou para o trabalho de carro e era um deleite ouvir, tantos entreteiners fantásticos desde o Paulino, Pedro T, a Dina etc, agora puseram um programa ao estilo TSF. De manhã precisa-se de alegria e boa disposição, bem basta a vida Portuguesa ser a realidade que é. Cumprimentos.